segunda, 23 de outubro de 2017
Futebol
Compartilhar:

Diá aponta desgaste físico dos jogadores do Campinense como motivo para derrota

Raniery Soares / 05 de abril de 2016
Foto: Arquivo
Foi ruim, mas foi bom. O sentimento do técnico Francisco Diá traduzido em suas palavras foi quase esse, após a derrota para o Salgueiro na noite do domingo, mas a conquista da vaga para a fase semifinal da Copa do Nordeste. Ele preferiu valorizar a importância do objetivo conquistado, frisando que o seu time tem enfrentado uma maratona muito pesada nos últimos tempos, o que está gerando um desgaste físico.

Segundo ele, diferente do adversário, o elenco da Raposa não teve como descansar e precisou dar tudo de si na busca pela classificação. Para Diá, o Salgueiro poupou vários jogadores em relação ao time que atuou na primeira partida, em Pernambuco, o que fez a equipe crescer no duelo de volta, no Amigão.

“Sabíamos do nosso cansaço e eles inteligentemente descansaram parte do time, por isso a equipe deles cresceu. Tínhamos que matar o jogo no primeiro tempo, mas eles fizeram os gols e nós tivemos que correr atrás com muita força para buscarmos a classificação. Jogamos muito e mesmo perdendo, ninguém pode deixar de dizer que não merecemos a vaga”, comentou.

Perguntado sobre a participação decisiva do atacante Adalgiso Pitbull, o treinador atribuiu ao fator ‘sorte’ as mudanças que o Campinense tem sofrido durante os jogos, em relação às substituições. “A gente tem dado sorte neste quesito. Pitbull entrou bem, assim como Chapinha. Jussimar estava desgastado, do mesmo jeito de Negretti e outros. É a quarta competição nossa contra o Salgueiro, a maratona está pesada, mas o importante é que conquistamos a classificação”, disse.

Relacionadas