segunda, 20 de maio de 2019
Futebol
Compartilhar:

Campinense comemora 104 anos de história

Franco Ferreira / 12 de abril de 2019
Foto: Arquivo
Completando nesta sexta-feira (12) 104 anos de existência, o Campinense tem muitas histórias para contar e muito motivo para se orgulhar dessa trajetória. Fundado em 12 de abril de 1915 e profissionalizado em 1955, o clube acumula muitas conquistas. Atualmente, está na briga por mais um título estadual na conta, aguardando para saber quem será seu adversário na fase final da competição.

O time, que passou 11 anos amargando a falta de um título e quebrou seu jejum em 2004, agora amarga oito anos sem sair da Quarta Divisão do Brasileirão. Desde que caiu de série, em 2011, todo ano é uma luta para conquistar o tão sonhado acesso. Mesmo assim, outras conquistas fizeram parte da história do Campinense nos últimos anos.

Em 2013, veio o que consideram o maior título da história do futebol paraibano: Campeão da Copa do Nordeste, sob comando do técnico Oliveira Canindé. Em 2015, ano do centenário do clube, mais um título estadual.

Em 2016, o feito da Copa do Nordeste quase se repetiu, o time foi vice-campeão, perdendo o troféu para o Santa Cruz dentro do estádio Amigão lotado, mas ainda assim conquistou dias depois o bicampeonato paraibano. Os dois títulos seguidos foram comandados pelo treinador que conquistou o carinho da torcida rubro-negra, Francisco Diá.

Agora faltam dois jogos para erguer mais uma taça. Depois de tantos problemas fora de campo, dentro das quatro linhas os atletas estão honrando o peso da camisa e a história que ela carrega. Mesmo com salários atrasados e instabilidade na administração do clube, o time conseguiu chegar à final da competição e agora espera a decisão entre Nacional de Patos e Botafogo para saber contra quem será o duelo que poderá dar ao Rubro-negro mais um título.

Para o lateral-direito Gustavo, jogar no Campinense é, acima de qualquer coisa, uma honra para ele e para a família, que é toda natural de Lagoa Seca. Em 2014, ele jogou no clube por oito partidas e, desta vez, está há mais tempo e em uma campanha melhor. Ele disse que apesar de todos os problemas, jogar no clube traz para ele - que cresceu vendo os avós e os pais vibrarem pelo rubro-negro - o sentimento de orgulho.

“É a segunda vez que eu passo pelo Campinense e sei muito sobre a história do time. Minha família é toda raposeira e tive a infelicidade de perder meus dois avós que eram doentes pela Raposa. Meus tios sempre falam que eles ficariam muito felizes e orgulhosos se me vissem vestindo esse manto. Jogar em um clube que tem uma história de títulos e conquistas é uma honra e vamos dar o nosso melhor para orgulhar a todos e ficar lembrado como jogadores de vitórias na época”, disse Gustavo.

Objetivos. O Campinense sonha em conquistar mais um título estadual e também foca no tão sonhado acesso à Série C do Campeonato Brasileiro.

Relacionadas