domingo, 15 de setembro de 2019
Futebol
Compartilhar:

Campinense e Treze tentam revelar jogadores para aliviar a crise

Lídice Pegado / 07 de julho de 2019
Muitos garotos sonham em se tornarem jogadores de futebol, com muito prestígio e fãs. Mas a realidade é dura e diferente, e nem todo mundo consegue uma oportunidade de crescer no mundo da bola. Com o Campeonato Paraibano Sub-19 prestes a ser iniciado, os atletas que tem a chance de representar um clube dão o seu melhor para serem aproveitados pelos times profissionais e terem a oportunidade de, quem sabe, crescer profissionalmente. Afinal, essa pode ser uma chance única para muitos.

A competição da categoria dá ao time vencedor uma vaga na Copa São Paulo de Futebol Júnior. A Copinha é considerada a principal vitrine do futebol brasileiro para os jovens que tem esse sonho e que buscam pela oportunidade de mostrar o que sabem fazer. Olheiros de clubes de todo o país se fazem presentes nos jogos para filtrar os que mais chamam atenção e demonstram ter futuro na profissão.

Os clubes de Campina têm tentado investir ao máximo para reaproveitar os chamados ‘pratas da casa’, que são jogadores formados nas categorias de base e reaproveitados no ano seguinte. O Treze tem esse projeto de estruturação da categoria e, somente no ano passado, dez atletas foram promovidos ao time profissional que disputou o campeonato estadual desse ano. Na época, o técnico do sub-19 era Mano Costa que, para o certame que começará em julho deste ano, foi contratado pelo Campinense.

Em Campina Grande, Yuri Matias foi um dos felizardos que realizou seu sonho depois de ter sido comandado por Mano. Atualmente, aos 24 anos, ele está no Académica de Coimbra, em Portugal. Além dele, a grande revelação foi o atacante Hulk, que defende a camisa do Shanghai SIPG, na China. Ambos foram atletas revelados pelo atual técnico rubro-negro, Mano Costa.

A competição começa no próximo final de semana. O Campinense só entrará no domingo, contra a Desportiva Guarabira. O Rubro-negro está no grupo do Brejo, junto de Confiança de Sapé, Desportiva Paraíba, São Paulo Crystal, Femar e Internacional. A primeira fase acontecerá somente em um jogo único entre os seis times de cada grupo. Já o Treze está no grupo Agreste com Picuiense, Queimadense, Perilima, Sport Lagoa Seca. O Galo estreou ontem.

Revelar pode ser a salvação da Raposa



O projeto de investimento na categoria de base do Campinense desse ano faz parte do planejamento que pretende lapidar jogadores. A ideia do Rubro-negro é dar toda a condição possível para formar atletas, inclusive porque isso poderá ser importante para o campeonato profissional do ano que vem. Em grave crise financeira, já que o clube tem dívidas que superam a casa de R$ 15 milhões, revelar jogadores pode ser uma válvula de escape para fugir da crise.

Para isso, a estrutura do centro de treinamento, no estádio Renatão, será ofertada aos garotos que o clube espera serem “prodígios”. O supervisor Dorgival Pereira afirmou que a proposta é dar essa condição de time profissional para alcançar objetivos.

“A estrutura do Campinense Clube profissional está sendo ofertada aos jogadores do sub-19 para que a gente consiga lapidar nossos atletas, fazer um bom campeonato e levar o time à Copinha, que é uma vitrine para esses jogadores construírem sua carreira. Além disso, pretendemos aproveitar esses jogadores para o grupo profissional do ano que vem”, afirmou Dorgival.

Sob comando de Mano Costa, que é conhecido por revelar atletas na região, o time rubro-negro se prepara para conquistar o título estadual, que dá vaga à Copa São Paulo de Futebol Júnior. Ele ficou conhecido por revelar atletas de Campina Grande que hoje atuam no futebol mundial e disse que todo o suporte está sendo dado e que a comissão pretende continuar realizando sonhos e atingindo objetivos.

“Já temos bastante experiência no trabalho com base, que não é fácil. O sonho desses garotos é conseguir disputar a Copa São Paulo e estamos tendo apoio da diretoria do Campinense. Não fazemos nada sozinhos e o que eu puder fazer para ajudar esses garotos a realizar sonhos, eu farei”, falou Mano.

De olho na oportunidade, o atleta Lucas Pereira, conhecido como Pereira no time, pretende se doar ao máximo para dar a sorte dos outros e se tornar mais uma grande revelação do futebol de Campina. Ele afirmou que a expectativa é muito boa e que a esperança nunca morre.

“Estamos dando o nosso máximo nos treinos. A esperança nunca morre. É um sonho ser jogador profissional e essa oportunidade tem que ser aproveitada como única. Meu objetivo é focar em futebol, esquecer as coisas extracampo e me dedicar ao máximo para no futuro colher os frutos disso e ser um jogador profissional”, comentou Pereira.

Atleta do Galo quer aproveitar a chance



O Treze já aproveitou atletas da categoria sub-19 no time profissional na atual temporada. Dez jogadores foram promovidos ao elenco que, apesar de não ter feito um Campeonato Paraibano como desejado, se mantém na briga pela permanência na Série C do Brasileirão.

O zagueiro alvinegro Eduardo Elias, de 20 anos de idade, fez parte da equipe sub-19 do Treze em 2018, e foi um dos dez atletas aproveitados pelo time. Ele não é titular e, em alguns jogos, é relacionado pela comissão técnica para o banco de reservas. O jogador disse que sempre dá o seu melhor, tanto nos treinos como nos jogos em que é relacionado, buscando se destacar para ser reconhecido pela sua qualidade.

“Ser jogador profissional é um sonho que todo garoto tem. As oportunidades são muito complicadas, mas tive essa chance de me destacar e hoje estar no profissional do Treze. Procuro dar sempre o meu melhor, para ser reconhecido pela minha qualidade e fazer valer essa chance”, disse Eduardo.

Relacionadas