domingo, 19 de maio de 2019
Futebol
Compartilhar:

Campinense decide antecipar eleições para presidência, diretoria e conselho

Lídice Pegado / 20 de março de 2019
Foto: Antônio Ronaldo
O Campinense anunciou oficialmente na tarde ontem a convocação de novas eleições antecipadas para a presidência do clube, a diretoria do clube e ao conselho deliberativo, que deverá acontecer em um prazo de 60 dias. Para isso, o atual presidente Antonino de Macedo não precisará renunciar o cargo. O clube vive um momento completamente instável desde que o ex-presidente William Simões foi afastado por estar sendo investigado pela Operação Cartola.

Antonino de Macêdo era presidente do conselho deliberativo e assumiu o cargo após a renúncia do então vice-presidente Félix Braz, que assumiu a presidência no momento em que William foi afastado. A decisão de antecipar as eleições, que deveriam acontecer em dezembro deste ano, partiu do próprio Antonino, que foi apoiado pelo conselho deliberativo em reunião extraordinária que aconteceu na noite de segunda-feira (18).

O que levou Antonino ao ato administrativo foi sentir a necessidade de uma melhor administração para o clube, pois segundo ele, a renda que está entrando está sendo incapaz de suprir todas as necessidades e honrar com todos os compromissos do Campinense.

“Tomei a decisão para o bem do clube. Não iria omitir e nem enganar a torcida. Precisava levar ao conselho uma carta para antecipação das eleições, para que outras pessoas que tem melhores condições possam juntar um grupo e tocar o clube melhor do que eu, porque as dificuldades são imensas e eu, sendo honesto com todos, não estou conseguindo desenvolver bem o meu papel”, afirmou Antonino.

De acordo com o presidente do conselho deliberativo Carlos Henrique, que foi empossado ao novo cargo segunda-feira, as eleições acontecerão com o mínimo de tumulto possível, diferente das outras vezes que aconteceu, e que está prevista para o dia 26 de maio, tendo em vista que após o registro da ata em cartório, há um prazo de 60 dias para que o processo democrático aconteça.

“O presidente não vai renunciar. Ele ficará até o próximo presidente eleito assumir. O cronograma é de 60 dias a partir da data de registro no cartório. Será feito com muita seriedade. O período de inscrições de chapa será aberto assim que for lançado o edital”, disse Carlos Henrique.

Relacionadas