Acesso

Campeonato Paraibano
Compartilhar:

Rivalidade a flor da pele na semi-final desta quinta

Marques de Souza / 20 de abril de 2017
Foto: Divulgação
Treze e Campinense irão protagonizar o terceiro Clássico dos Maiorais de 2017. Desta vez, pela semifinal do Campeonato Paraibano. No Estádio Amigão, às 20h30, as duas maiores equipes de Campina Grande entram em campo para escrever a primeira parte do capítulo que pode ter como desfecho, conduzir uma das equipes à final do Estadual.

O segundo momento será escrito no domingo, quando os times voltarão a se encontrar para disputarem outros 90 minutos. Por ter feito a melhor campanha geral na primeira fase, o Campinense tem a vantagem do empate.

As duas equipes fizeram um estadual repleto de emoções. O Galo, por exemplo, sofreu em algumas rodadas para entrar no G-4, mas depois que entrou, não saiu mais. Nesse meio-termo, Leocir Dalla’Astra foi demitido e deu lugar a Celso Teixeira, que assumiu e vem conseguindo grandes resultados.

Atletas que eram cotados a ser referência também deixaram o Alvinegro, como Jefferson Araújo e Anderson Feijão. Essas saídas foram pequenas comparadas a percas maiores como a de Petrônio Gadelha, presidente, que faleceu no início de março. Entre tantas mudanças, algumas traumáticas até, o Galo chega para o Clássico dos Maiorais com um pequeno favoritismo. A equipe joga bem e está há nove jogos sem perder. Mas isso não é garantia de sucesso.

Isso porque o Campinense projeta o duelo de logo mais vislumbrando uma resposta aos fracassos recentes como a eliminação na Copa do Brasil, para a Ponte Preta/SP, e na Copa do Nordeste, para o Sport/PE.

A Raposa também viu alterações no comando. Paulo Foiani, que estava com a equipe desde a pré-temporada deu lugar a Sérgio China, que também saiu. Hoje, é Ney da Matta quem tem a responsabilidade de fazer o time “dar liga”, como dizem no futebol. Entre a saída de Renatinho, que era a esperança para a camisa 10 e o retorno de jogadores como Negretti, por exemplo, identificados com o clube, o Campinense quer começar a semifinal com o pé direito.

O primeiro jogo do mata-mata representa a fase semifinal do campeonato estadual mas esconde uma partida com interesses muito maiores.

Na Raposa, a meta é o tricampeonato consecutivo, que não acontece desde 1983. Já no Galo, o desejo é voltar a subir no pódio. A última conquista foi em 2011, e a torcida já está com o grito engasgado. No domingo, um dos sonhos ficará pelo caminho.

Relacionadas