quarta, 17 de julho de 2019
Campeonato Paraibano
Compartilhar:

Relator do TJDF-PB pede esclarecimentos à FPF sobre situação do CSP

Franco Ferreira / 17 de outubro de 2017
Foto: Reprodução/Facebook
Serpa di Lorenzo - TJDF-PB - Reprodução/Facebook
Com um Campeonato Paraibano ainda sem definição, a briga envolvendo Internacional, CSP e Federação Paraibana de Futebol (FPF) ganha um novo capítulo. O auditor do Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF-PB), Francisco di Lorenzo Serpa, encaminhou uma série de perguntas à FPF, com o intuito de saber se realmente existe algum fato que impeça a participação do tigre praieiro em competições oficiais. O jurista foi nomeado pelo presidente Lionaldo Santos Silva como relator da ação.

No documento constam perguntas relacionadas à existência de impedimentos por parte da FPF e CBF, para que o CSP seja impedido de disputar campeonatos organizados pelas duas entidades.

De acordo com o pedido de esclarecimento do Tribunal, a Federação Paraibana de Futebol tem até a próxima sexta-feira para se pronunciar oficialmente, mas Francisco Serpa espera que as repostas sejam dadas antes, afinal o TJDF-PB tem pressa para julgar o processo.

Entenda o caso

O Internacional Paraibano está buscando na justiça, uma vaga no Campeonato Paraibano do próxim o ano, alegando que o CSP está com a conta na CBF bloqueada e por isso, não tem condições de fazer qualquer movimentação para a formação do elenco, como inscrever ou transferir jogadores, por exemplo.

Além disso, o presidente do alvirrubro, Tassiano Gadelha adiantou que o alviceleste de João Pessoa já deveria ter sido punido, pois também entrou com processos contra a CBF na Justiça Comum, antes de esgotadas as instâncias da Justiça Desportiva.

A alegação do Colorado é que, assim como aconteceu com o Alvorada Futebol Clube (time que tentou disputar o Paraibano de Futebol Feminino), que também está com as senhas bloqueadas junto à CBF, o CSP deve ser impedido de disputar o Estadual do próximo ano.

O presidente do Tigre, Josivaldo Alves, negou que o time tenha qualquer impedimento e sobre os processos na justiça, o dirigente declarou que o ingresso na Justiça Comum só aconteceu após as vias da Justiça Desportiva se esgotarem.

Relacionadas