terça, 19 de janeiro de 2021

Campeonato Paraibano
Compartilhar:

Botafogo faz gol nos acréscimos e bate Atlético/PB

Fábio Cardoso / 05 de março de 2017
Foto: Assuero Lima
A partida entre Botafogo e Atlético de Cajazeiras tinha tudo para ser um dos mais disputados do Campeonato Paraibano de futebol, mas, neste domingo (05), o árbitro Fábio Alves foi quem roubou a cena no final da partida. A vitória de virada do Belo, por dois a um, foi ofuscada com os quase 10 minutos de acréscimo dado pelo árbitro sem qualquer justificativa.

A partida entre Botafogo e Atlético de Cajazeiras tinha tudo para ser um dos mais disputados do Campeonato Paraibano de futebol, mas, neste domingo (05), o árbitro Fábio Alves foi quem roubou a cena no final da partida. A vitória de virada do Belo, por dois a um, foi ofuscada com os quase 10 minutos de acréscimo dado pelo árbitro sem qualquer justificativa.

Enquanto a torcida do Botafogo comemorava a vitória no sufoco junto com os jogadores, no estádio Almeidão, a equipe de Cajazeiras saia de campo revoltada com a arbitragem. Mosquito, que marcou o gol do Atlético, acusou Fábio Alves de ter sido o responsável pela derrota de sua equipe. “O juiz foi quem venceu a partida para o Botafogo”, desabafou o atacante.

Na realidade, numa análise fria da partida, o Atlético poderia ter matado a partida ainda no primeiro tempo. Aos 24 minutos, quando o Mosquito abriu o placar do jogo, o time do Sertão perdeu pelo menos outras três chances de ampliar o placar. O lance decisivo aconteceu aos 27 minutos, quando Aleff perdeu um pênalti defendido por Michel Alves. Esse lance foi crucial na partida.

Mesmo não apresentando um bom futebol, bastante criticado pela torcida, que já ensaiava vaias, aos 37 minutos Wanderson tirou a zica que o acompanhava e marcou o gol de empate ao cabecear para o gol de Edson, que não teve como defender. O empate tirou um grande peso do time de João Pessoa, que foi para o vestiário com outro ambiente e o técnico Itamar Schuller muito irritado com a apresentação.

O segundo tempo começou como o primeiro, com o Atlético perdendo gols, um atrás do outro. Mosquito, que saiu reclamando da arbitragem, teve duas chances claras de desempatar a partida, mas falhou em ambas. O time do Sertão estava muito melhor do que o Botafogo, até a metade do segundo tempo, mas as coisas começaram a mudar.

Pressionado pelo resultado do Campinense, que vencia o Sousa em Campina Grande, e se aproximava do líder, a equipe foi para o tudo ou nada, já com os jogadores do Atlético demonstrando cansaço, além de ter cinco jogadores pendurados com cartão amarelo em campo.

Aliás, foi um festival de cartões amarelos, ao todo foram nove - sete para os jogadores do Atlético (Alyson, Luiz Gustavo, Romerito, Charles Wagner, Rato, Douglas e Juninho), e dois para do Botafogo (Fernando Dinis e Djavan).

Quando o árbitro anunciou que irá dar sete minutos de acréscimo, a revolta do banco do Atlético foi visível. O Botafogo, que não tinha nada com isso, começou a fazer uma pressão quase insustentável, até que, aos 53 minutos o atacante Rafael Oliveira chutou seco para fazer o segundo gol do Belo, sem chance para o goleiro Edson. Muita festa nas arquibancadas e campo no Almeidão.

Fábio Alves ainda alongou o jogo por mais três minutos, mas não dava tempo para mais nada.

Resultados

Botafogo 2 x 1 Atlético

Campinense 2 x 1 Sousa

Treze 3 x 0 CSP

Auto Esporte 1 x 0 Serrano

Paraíba 2 x 2 Internacional

Relacionadas