quinta, 27 de junho de 2019
Futebol
Compartilhar:

Brasil inicia disputa pelo título da Copa América

Allan Hebert / 14 de junho de 2019
Foto: Arquivo
Depois do fracasso na última competição que disputou em casa, a Copa do Mundo de 2014, a Seleção Brasileira tem mais uma chance de fazer as pazes com o torcedor. A partir desta sexta-feira (14), o Brasil entra em campo para a disputa da Copa América 2019, que será realizada até o dia 07 de julho em cinco estados. O time comandado por Tite estreia logo mais, às 21h30, contra a Bolívia, no estádio do Morumbi, em São Paulo.

O Brasil chega à competição sem ter a confiança do torcedor depois de não ter êxito em mais uma Copa. O time foi eliminado pela Bélgica ainda nas quartas de final do Mundial disputado na Rússia, no ano passado. Depois disso, disputou dez amistosos, com nove vitórias e um empate. O time ainda marcou 25 gols e sofreu apenas dois.

Se a Seleção precisa fazer retomar a confiança de seu torcedor, jogar a Copa América em casa é pra lá de animador. Nas quatro vezes em que disputou o torneio em casa, o time verde e amarelo saiu de campo campeão. As conquistas foram nas edições de 1919, 1922, 1949 e 1989. Será que a escrita será mantida?

O torneio continental será disputado em cinco capitais brasileiras e em seis estádios diferentes. São Paulo terá como palcos os estádios do Morumbi e Arena Corinthians. Belo Horizonte terá o Mineirão. Em Porto Alegre, o estádio escolhido foi a Arena do Grêmio. O palco sagrado do Maracanã será a praça esportiva sede dos jogos no Rio de Janeiro. A única cidade-sede no Nordeste será Salvador, que receberá cinco jogos na Fonte Nova.

Regulamento. A Copa América 2019 contará com a participação de 12 seleções divididas em três grupos com quatro equipes. As duas melhores de cada chave e os dois melhores terceiros colocados avançam à segunda fase. A partir daí, os times se enfrentam em mata-mata até ser definido o campeão.

Abertura. Com 400 pessoas em cena, 100 músicos e muita tecnologia, a cerimônia de abertura da Copa América vai mostrar o sonho de 12 crianças, cada uma representando um dos países que participarão da competição. A festa começa às 21h10, no Morumbi.

Durante a cerimônia será cantada a música-tema da Copa América deste ano, Vibra Continente, escrita por Rafinha RSQ, Léo Santana, Karol G e Ovy On the Drums. A canção, que será interpretada por Léo Santana e pela colombiana Karol G, mistura o swing latino e o funk.

Seleção está pronta para estreia



Com apenas o título como objetivo, a Seleção Brasileira começou a se preparar para a Copa América no dia 22 de maio, mas com elenco incompleto. Boa parte do período de treinos foi conturbado por questões extra-campo relacionadas ao craque Neymar, que foi acusado de ter cometido um estupro. O caso segue sendo investigado na Justiça.

O noticiário da Seleção se confundiu com páginas policiais até o amistoso contra o Catar, em que Neymar se machucou e, por isso, acabou sendo cortado da competição continental. Depois disso, os comandados de Tite tiveram mais tranquilidade para trabalhar.

Após o corte de Neymar, o Brasil realizou seu último amistoso e deu um verdadeiro show, atropelando a fraca seleção de Honduras por 7 a 0, em partida realizada no estádio Beira-Rio. Apesar de ter perdido sua principal peça, que foi substituída por Willian, o time chega confiante para a Copa América.

Sem poder contar com Neymar, a Seleção Brasileira aposta no bom momento de seus jovens atacantes. Richarlison, Gabriel Jesus, David Neres e Everton vêm fazendo boas apresentações e podem fazer a diferença ao longo do torneio. Mesmo com a convocação, Tite deu mostras de que Neres é quem terá a pressão de substituir Neymar em seu esquema de jogo.

O técnico fechou as últimas atividades e não confirmou o time que entrará em campo diante da Bolívia, hoje, às 21h30, no Morumbi. Com Arthur se recuperando de uma contusão no joelho direito, Tite deve optar pela escalação de Allan.

Ao que tudo indica, o Brasil deve começar a Copa América com: Alisson; Daniel Alves, Thiago Silva, Miranda (Marquinhos), Filipe Luís; Casemiro, Allan, Philippe Coutinho; Richarlison, David Neres, Roberto Firmino. | AH

Briga pelo troféu promete ser boa



Mesmo com o favoritismo de atuar com o apoio de sua torcida, o Brasil não deve ter vida fácil ao longo do torneio. Apesar de ter ficado no grupo teoricamente mais fácil, os comandados de Tite poderão ter adversários duros em uma eventual segunda-fase. Equipes como Argentina, Chile, Colômbia, Uruguai e Peru chegam dispostas a brigar pelo título.

Principal adversário do Brasil, a Argentina bateu na trave nas duas últimas edições, ficando com o vice-campeonato, e promete brigar pelo troféu. Comandada por Lionel Messi, Agüero, Di Maria e companhia, os hermanos sonham em quebrar o longo jejum de títulos. O último torneio vencido por eles foi a Copa América de 1993, disputada no Equador. De lá pra cá, o time vem colecionando decepções, como a perda do título da Copa do Mundo de 2014, também em solo brasileiro.

Atual bicampeão da América, o Chile tem uma boa geração e chega sonhando com o tri. Agora comandada por Reinaldo Rueda, ex-Flamengo, o time espera se recuperar da decepção de ter ficado de fora da última Copa. O técnico deu uma renovada na equipe, que tem em Arturo Vidal, do Barcelona, como principal peça.

Maior vencedor da Copa América, com nada menos que 15 títulos, o Uruguai também começa o torneio como um dos favoritos. Campeão em 2011, o time do técnico Óscar Tabárez aposta no entrosamento para voltar a levantar o troféu. A base da equipe joga junto há muito tempo e ainda conta com as estrelas Edinson Cavani e Luis Suárez, que formam uma das melhores duplas de ataque do planeta.

Com apenas um título, conquistado em 2001, a Colômbia vem um pouco atrás dos rivais citados acima, mas não pode ser descartada. Com um elenco forte, que tem estrelas como James Rodríguez e Falcao García, além de vários bons jogadores, o time comandado pelo português Carlos Queiroz espera surpreender.

Outra equipe que chega entre as favoritas é o Peru. O time, que já venceu a Copa América em duas oportunidades, aposta no bom entrosamento do grupo que participou da última Copa do Mundo. Ainda com o argentino Ricardo Gareca no comando, os peruanos vão contar com o talento de Paolo Guerrero e Cueva para tentar fazer história em solo brasileiro.

 

 

Relacionadas