terça, 18 de dezembro de 2018
Futebol
Compartilhar:

Belo empata sem gols e pode terminar rodada no rebaixamento

Allan Hebert / 02 de setembro de 2017
Foto: Raniery Soares
O Botafogo não depende mais de suas forças para se manter na Série C do Campeonato Brasileiro. Na noite desta sexta-feira (1º), o Belo voltou a tropeçar em casa, desta vez ao empatar em 0 a 0 com o ASA-AL, e agora vai ter que secar o Moto Club-MA para não entrar na zona de rebaixamento ao final desta rodada. O time alagoano, por sua vez, está matematicamente rebaixado e vai disputar a Série D em 2018.

Com o resultado, o Alvinegro da Estrela Vermelha segue na oitava colocação, com 18 pontos. Para não entrar na zona da degola nesta rodada, precisa torcer por um tropeço do Moto, que recebe o Cuiabá-MT, neste sábado, às 17h, no Castelão, em São Luís.

Na última rodada, marcada para o dia 09, o Botafogo vai até o Maranhão enfrentar o líder Sampaio Corrêa, no Castelão. Já o ASA, recebe o Confiança-SE apenas para cumprir tabela.

O jogo

Na reestreia de Ramiro Souza no comando da equipe, o Belo entrou em campo com várias modificações, inclusive no gol, com Edson na vaga que era de Michel. E o time iniciou bem a partida, pressionado o adversário.

Aos sete minutos, o Belo quase abriu o placar. O goleiro Carlão bobeou, soltou a bola e quase Dico empurrou para as redes, mas a zaga fantasma se antecipou e mandou para escanteio. Na cobrança de Marcinho, Rafael Oliveira se antecipou a marcação e finalizou com perigo.

Dez minutos depois, Dico recebeu bom passe na área e por pouco não tirou o zero do placar. O atacante finalizou forte, rasteiro, e obrigou Carlão a fazer uma grande defesa, mandando para escanteio.

Depois disso, o jogo perdeu intensidade e ficou morno. Retrancado, o ASA só fez o goleiro Edson trabalhar em apenas um lance nos 45 minutos iniciais. Já nos acréscimos, um confusão generalizada fez com que o árbitro expulsasse o lateral Alyson, do Belo, e o zagueiro Fernando Lopes, do ASA.

O segundo tempo começou e novamente Dico, sempre ele, levou perigo. Aos seis minutos, o camisa 11 fez jogada individual e finalizou de fora da área. A bola tirou tinta da trave defendida por Carlão. Aos 10, Sapé recebeu boa assistência de Marcinho, quase na marca do pênalti, e finalizou para grande defesa de Carlão.

Aos 33, Marcinho entrou na área pela direita e chutou forte para mais uma belíssima defesa do arqueiro fantasma. Nos minutos finais, o Belo seguiu pressionando na base do desespero, mas não conseguiu marcar.

Relacionadas