terça, 24 de abril de 2018
Futebol
Compartilhar:

A um ano da disputa, nordestinos já conhecem seus representantes na Série D de 2018

Amauri Aquino / 16 de agosto de 2017
Foto: Divulgação/CBF
Série D - Divulgação/CBF
Quatro equipes, das 68 que disputaram a Série D do Campeonato Brasileiro, se destacaram e garantiram acesso à Série C em 2018. Dois deles de maneira inédita, que são os casos da Juazeirense e do Globo. Na Região Sul, o Operário-PR volta após 25 anos fora e o Atlético Acreano depois de 22 temporadas. Sendo mantida a fórmula de disputa para 2018, a Região Nordeste contará com 22 clubes, desses apenas dois ainda não foram definidos.

Ainda é cedo para fazer algum tipo de conjuntura a respeito da disputa, mas o mapa da Quarta Divisão do Brasileirão começa a ganhar forma e os clubes nordestinos terão a representação de clubes tradicionais. Campeões ou não em seus estados, os times trazem, em sua maioria, a força do interior brasileiro. É o caso da Paraíba, que até aqui será representada por Campinense e Treze.

Dois anos depois, os Maiorais voltam a se encontrar numa briga pelo acesso à Série C do Brasileiro. Fora das disputas no segundo semestre no biênio 2016 e 2017, o Galo conquistou a vaga após ter sido vice no Paraibano deste ano, com isso também pode garantir uma vaga na Copa do Nordeste do próximo ano, já que pela nova fórmula, o Alvinegro vai disputar a seletiva para a competição regional, enfrentando o Cordino-MA. A Raposa teve um ano pra esquecer: terceiro lugar no Estadual e eliminado na segunda fase do Brasileiro, o Campinense vai precisar se reinventar para voltar aos tempos de glória.

Alagoas já conta com dois representantes, que é o caso do Coruripe e o Santa Rita, equipe da cidade de Boca da Mata. O estado ainda poderá ganhar mais um representante, isto porque o ASA que atualmente na Série C é o último colocado do Grupo A e, corre sérios riscos de ser rebaixado.

A Bahia chega com uma grata surpresa. Longe dos holofotes dos grandes da capital, o estado será representado pelo Vitória da Conquista e o Fluminense de Feira. A Juazeirense, também do interior conquistou o acesso e vai disputar a terceirona.

Contando com os representantes mais conhecidos da região, o Ceará será representado pelo Ferroviário, terceira força do estado e o Guarany de Sobral, que participou esse ano e foi eliminado nas oitavas de final para o norte-rio-grandense Globo.

Do Maranhão, o Cordino fará sua segunda participação seguida. A equipe não passou da fase de grupos em 2017. A outra representação estadual será do tradicional Imperatriz. O Moto, atualmente em situação delicada na C, pode se outro a fazer parte deste grupo.

Já em Pernambuco, teremos o Central, equipe ilustre do torneio e mais dois desconhecidos. São os casos do Flamengo de Arcoverde, campeão do Hexagonal da Permanência, quinto colocado na disputa do título. O Salgueiro consolidado da divisão de cima, provavelmente não fará parte do grupo.

Por outro lado, os piauienses repetirão a dupla que brigou pelo acesso no ano. Altos e Parnahyba. Ambos não passaram da primeira fase.

O povo potiguar que vibrou com o Globo, que tem apenas quatro anos de vida, foi a equipe mais nova a conseguir um acesso na Série D. Em baixa com mais um fracasso do América, o estado terá, além do Mecão o Assu, que ocupa o lugar do Potiguar.

Por fim os grandes de Sergipe deverão se encontrar. É que Itabaiana e Sergipe já garantidos, poderão contar com a companhia do Confiança, clube que vem fazendo uma péssima campanha na Série C e corre sérios riscos de ser rebaixada.

Relacionadas