sábado, 20 de outubro de 2018
Eleições 2018
Compartilhar:

Eleitorado está decepcionado, mas ainda acredita na mudança

Lucilene Meireles, Wênia Bandeira e Ainoã Geminiano / 08 de outubro de 2018
Foto: Allan Hebert
O eleitor chegou cedo aos locais de votação nesse domingo (7), em João Pessoa, e a razão que moveu cada um, independente do candidato escolhido, foi a vontade de ver o País melhorar. Jovens foram votar pela primeira vez, e idosos que nem precisavam mais ir até suas sessões, fizeram questão de comparecer para exercer o direito de cidadão. Diante do atual cenário político, porém, o medo do que está por vir, ansiedade, emoção, esperança foram os sentimentos que moveram os eleitores. Para a maioria, a maior sens ação é de decepção.

A artesã Maria Estela Braz de Holanda, que vota na Escola Municipal José Américo de Almeida, no bairro José Américo, chegou às 6h15 e foi a primeira a entrar quando os portões foram abertos. Para ela, o sentimento é de total decepção com os políticos. “Esse ano, está difícil de escolher. Por isso, infelizmente, vou votar em branco. Estou aqui por obrigação, mas não tenho mais esperança de mudança”, admitiu.

“Estou com medo porque não sei em quem confiar. É preciso mudar, eleger candidatos que têm ficha limpa. Para mim, a política é uma grande decepção. Minha esperança é de que as coisas melhorem a partir do próximo ano, mas é tudo muito incerto”, disse o faxineiro Roselúcio Feliciano da Silva, que vota no mesmo local.

Na expectativa de que coisas boas aconteçam com a eleição de novos parlamentares, a dona de casa Cosma Passos da Silva, 60 anos, comentou que seu desejo é de que tudo dê certo. “Mas, acho tão difícil. Todos fazem promessas e não cumprem. Setores como saúde, segurança, precisam de atenção e isso não temos mais. A fé me fez vir aqui hoje”, declarou.

O Brasil acordou

Para alguns eleitores, a expectativa era de que haja, de fato, uma mudança radical. O autônomo Marcos Mendonça de Brito, que vota no bairro José Américo, afirmou que seu voto foi uma forma de contribuir com uma mudança que melhore a qualidade de vida das pessoas na Paraíba e no Brasil.

“Falta segurança. Os Direitos Humanos não fazem nada. O desemprego assola o País e eu, como muitas outras pessoas, sou uma vítima disso também, porque o sistema atual destruiu tudo. Estou fazendo minha aposta e vou votar consciente. A maioria dos brasileiros está revoltada. O Brasil acordou”, disse. Marcos Mendonça de Brito.

Esperança na Grande JP

Em alguns dos maiores colégios eleitorais da Paraíba, Cabedelo, Bayeux e Santa Rita, na Grande João Pessoa, os eleitores foram às urnas nesse domingo (7) com a esperança de não se decepcionar com os candidatos escolhidos.

O aposentado Argemiro Berto dos Santos, de 55 anos, mora em Bayeux, está desempregado e levou para a urna a esperança de voltar ao mercado de trabalho. “Eu espero que os candidatos sejam melhores que os outros. O que precisa melhorar urgente é a segurança o desemprego porque tá faltando emprego. Eu mesmo só classificado como pedreiro, mas estou tentando vender dimdim, porque estou desempregado”, disse.

Jefferson dos Santos e Edileide de Lima, também moradores de Bayeux, falaram de outros problemas. “Eu quero que o Brasil mude e acabe a corrupção. Quero mais educação e saúde, muitas coisas que estão necessitadas”, disse Edileide. “Quero segurança e saúde. A gente chega em posto médico e não tem saúde para ninguém”, desabafou. Os três eleitores votam na Escola Estadual.

Em Cabedelo os pedidos são os mesmos. O eleitor Henrique Manoel, de 36 anos e residente de Cabedelo, cobrou investimentos para seu município, em saúde, educação e segurança. “Que eles parem de roubar e olhem mais para nós. Investir mais em saúde, educação e segurança”, disse Henrique Manoel.

Por sua vez, Antonio Dantas Cardoso, cobrou investimentos no principal equipamento da cidade de Cabedelo. “Para governador, eu queria que melhorasse o Porto de Cabedelo. Para os senadores são precisos investimentos aqui para nossa cidade, que eles tragam recursos para Cabedelo”, pontuou.

Já na cidade de Santa Rita, faltando meio hora para terminar a votação, as filas eram grandes nas seções. “EStou esperando porque quero um País melhor”, disse Maria José Silva.

Relacionadas