terça, 25 de junho de 2019
Economia
Compartilhar:

VLT a R$ 0,50 transporta 6,7 mil passageiros por dia

Katiana Ramos / 27 de agosto de 2017
Foto: Rafael Passos
Antônio Marcos de Lourenço é um verdadeiro adepto de meios alternativos de mobilidade. Gastando menos tempo e dinheiro, ele utiliza o trem e a bicicleta para sair do município de Bayeux, na Região Metropolitana de João Pessoa, escapa dos congestionamentos dos corredores da Capital, e chega ao destino do trabalho, o bairro de Manaíra, na orla da cidade. O segurança está entre os 6.720 passageiros que utilizam o trem urbano, todos os dias, que opera na capital e em outras três cidades.

“Você pagar somente 50 centavos para um percurso relativamente longo e que eu gastaria mais de R$ 5 com passagem de ônibus é uma maravilha. Quando eu somo isso todos os dias, dá uma diferença no fim do mês. Para quem só ganha um salário é um alívio”, contou Antônio Marcos, que desce na estação ferroviária do Renascer, em Cabedelo, pega a bicicleta na casa de familiares que moram nas proximidades e segue para o trabalho.

O segurança organiza esse mesmo percurso para cumprir sua rotina de trabalho há pelo menos oito anos. Assim como os milhares de passageiros transportados todos os anos nos trens urbanos que operam na Capital, ele acompanhou as mudanças e está otimista quanto ao quase recém chegado VLT. Operando desde 2015 nos cerca de 30 quilômetros de percurso, entre os municípios de Santa Rita e Cabedelo, o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) deu mais qualidade aos usuários, em sua maioria, trabalhadores assalariados, como Antônio. De 2014 a 2016, o total de passageiros transportados nos trens da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) utilizados na Capital e região aumentou 6,1%.

Aos 65 anos, o ambulante Victor da Silva tem no VLT um aliado para trabalhar com mais rapidez e transitar entre as quatro cidades por onde passa o transporte ferroviário da Capital. Com a bolsa repleta de acessórios para a limpeza de fogões, ele passa o dia entre as feiras das cidades de Santa Rita, Bayeux, Cabedelo e no Centro de João Pessoa.

“Toda vida eu gostei de andar de trem. Esse agora mais moderno está melhor. Moro em Fagundes (Litoral Norte) e passo o dia andando de trem para vender minhas coisas nas ruas. Saio de casa às 4h e só volto para casa às 6h da noite. Então, para mim, mesmo sem pagar a passagem, é muito bom”, destacou o ambulante.

Fonte: CBTU

Transporte mais seguro e menos poluente

Além de proporcionar melhor conforto para os usuários, os VLTs trazem mais segurança e ganho de tempo nas viagens se comparado às locomotivas. Segundo o gerente regional Operacional da CBTU, Othomagno Viegas, os novos veículos também são menos poluentes.

“O VLT, por ser mais moderno, apresenta dispositivos e catalisadores que reduzem a emissão da monóxido de carbono, portanto, é menos agressivo ao meio ambiente”, destacou. Com relação aos acidentes envolvendo o transporte, ele lembrou que os raros que acontecem são por invasão de pessoas ou outros veículos (ônibus, carros ou motocicletas) nas linhas férreas.

Conforme o gerente de Planejamento e Engenharia da CBTU, Cláudio Piccoli, há projetos para a melhoria e modernização na sinalização ao longo da ferrovia administrada pela empresa, na Paraíba. “Nesse projeto de modernização, todas as PN (passagens de nível) de primeiro nível terão cancelas automatizadas e câmeras de vigilância”, reforçou.

Ainda sobre o projeto de modernização do sistema ferroviário no estado, os representantes da CBTU lembraram que serão construídas quatro novas estações e as 12 existentes serão modernizadas “A previsão [das obras] depende do orçamento da União, mas está tudo no projeto”, disse Cláudio Piccoli.


Relacionadas