terça, 12 de dezembro de 2017
Economia
Compartilhar:

Como saber se vale a pena comprar carro em leilão?

Redação / 13 de novembro de 2017
Foto: Divulgação
Participar de um leilão de carros pode ser muito vantajoso pelos preços e condições oferecidas, mas também pode causar grandes prejuízos ao consumidor desavisado. Existem poucos dados sobre o mercado leiloeiro no Brasil, mas estima-se que, na época mais grave da crise econômica, ele tenha expandido 40% no país

Como o próprio Correio da Paraíbamostrou, existem diversos relatos de consumidores que se sentiram beneficiados pelos valores dos leilões. Em alguns casos, o veículo é comprado pela metade do preço tabelado pela Fundação Instituto de Pesquisa Econômica (Fipe).

É o caso do metalúrgico João da Silva, de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, que comprou uma picape seminova por um valor R$ 15 mil reais mais barato do que praticado pelas concessionárias. “Foi o melhor negócio que eu já fiz”, afirma. Em alguns casos, a economia em comprar veículos por meio de pregões online pode ser de 100%. Carros com problemas de documento ou avarias mais complexas, por sua vez, chegam a ser ainda mais em conta, apesar dos custos posteriores com regularização e na oficina de funilaria.

No entanto, nem sempre a aquisição é benéfica: em alguns casos, os carros são vendidos com defeitos graves - seja no motor ou na funilaria. O aposentado Serafim Lopes viveu isso na pele: "Nunca consegui arrumar o limpador de pára-brisas, o motor quebrava, a lataria da porta começou a entortar e chovia dentro", conta. Após algum tempo, ele descobriu que o veículo tinha sido considerado irrecuperável pela seguradora por causa de um acidente.

Algumas dicas são fundamentais na hora de comprar um carro em leilão. Em primeiro lugar, é preciso se certificar que o leiloeiro é regularizado, como explica Flávio Santoro, da Sodré Santoro. “As empresas que atuam nessa área são regularizadas pelo Estado e, por isso, precisam ter certificados e autorizações em editais públicos. Se não tiverem, já é um indício ruim”.

“Para uma compra minimamente segura é indispensável ler na íntegra o contrato de adesão e pesquisar na Junta Comercial o nome e número da matrícula do leiloeiro, caso o leilão online seja realizado por empresa agenciadora de leilão”, orienta o jornalista Ivanildo Pontes, da revista especializada Leiloeiros do Brasil.

 

Relacionadas