quinta, 19 de outubro de 2017
Economia
Compartilhar:

Varejo na Paraíba cai 10% em 12 meses

Érico Fabres / 11 de março de 2016
Foto: Arquivo
As vendas do comércio varejista do país fecharam janeiro deste ano com retração de 1,5% sobre dezembro, na série livre de influências sazonais. Quando comparada a janeiro de 2015, série sem ajuste sazonal, a queda chega a 10,3% no décimo resultado negativo consecutivo. Na Paraíba, a queda em relação ao mesmo mês do ano passado foi de 7,6%, abaixo da média nacional. Já no acumulado dos últimos 12 meses, o Estado possui uma média quase o dobro do Brasil, -10,7% contra -5,2%.

Os dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) foram divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e indicam que a receita nominal do setor fechou janeiro estável na série livre de influências sazonais (0,1% de variação) e crescimento de 1% em relação a janeiro do ano passado.

No acumulado dos últimos doze meses, a receita nominal acusou diminuição de 2,8%. Na Paraíba, o crescimento foi de 4,1%, porém no acumulado de um ano, ainda é registrada uma queda de 3,6%.

O recuo de 1,5% no volume de vendas do comércio varejista na passagem de dezembro de 2015 para janeiro de 2016, série ajustada sazonalmente, teve predomínio de resultados negativos entre as atividades que compõem o varejo.

Setorialmente, os principais destaques negativos vieram do recuo de 4,3% registrado no setor de Móveis e eletrodomésticos; seguido por Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,9%); e Combustíveis e lubrificantes (-3,1%); Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-1,8%); Tecidos, vestuário e calçados (-0,5%); e Livros, jornais, revistas e papelarias (-0,1%).

Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos, com variação de 0,1%, praticamente mantiveram estável o volume de vendas, em relação a dezembro de 2015. Considerando o varejo ampliado, a redução de 1,6% amplia o ritmo de queda frente ao registrado no mês anterior (-1,0%).

O resultado de janeiro teve influência, principalmente, das vendas em Material de construção, (-6,6%), após crescimento de 3,2% no mês anterior, seguido por Veículos e motos, partes e peças (-0,4%).

De dezembro de 2015 para janeiro de 2016, série com ajuste sazonal, as vendas no varejo foram negativas em 17 estados. As maiores variações negativas ocorreram no Espírito Santo e com taxa de -3,1%.

Relacionadas