sexta, 18 de setembro de 2020

Economia
Compartilhar:

Uso do gás natural reduz em até 30% gastos em edifícios comerciais e residenciais

Redação com Secom-PB / 09 de outubro de 2015
Foto: Secom-PB
Em tempos de crise a palavra de ordem é, sem dúvida, economia. Na Paraíba, economizar também tem sido o principal lema de condôminos de prédios comerciais e residenciais que buscam cortar gastos. Uma saída para manter as contas no verde pode ser o uso de gás natural que chega a gerar uma redução de até 30% nos custos dos edifícios.

As vantagens e utilidades do produto foram apresentadas pelo engenheiro civil e diretor técnico da PBGás, Carlos Vasconcelos, em palestra nessa quinta-feira (8), no Fórum Inovar e Construir, promovido pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) com apoio da PBGás e outros parceiros.

De acordo com Carlos Vasconcelos, o aquecimento da água com o uso da energia solar tendo o gás natural como complementação, por exemplo, é uma excelente alternativa pela redução dos custos e de menor impacto ambiental. “Os aparelhos a gás substituem os elétricos com economia significativa ao consumidor e evita a sobrecarga do sistema elétrico [chuveiros elétricos respondem por cerca de 26% do consumo de energia elétrica no horário de ponta] e evita sobrecarga e investimentos desnecessários na rede de geração, transmissão e distribuição”, explicou.

Carlos apresentou exemplos de redução do custo operacional de empreendimentos como shoppings e supermercados com a co-geração (geração de energia elétrica para aquecimento e resfriamento de água), ocasionando um aumento no rendimento energético de mais de 55%, o dobro de soluções com aparelhos elétricos. Ele informou que está em processo de implantação o selo Procel que vai qualificar as edificações pelo nível de qualidade em eficiência energética e será um elemento importante de mercado.

Outros aspectos positivos que o gás natural possibilita é a própria valorização do terreno, já que sem a necessidade de armazenamento de botijões de GLP, o espaço pode ser utilizado para fins mais nobres como um parque infantil ou uma vaga a mais de garagem, a segurança por não haver necessidade de abastecimento e a comodidade de ter um combustível que funciona 24 horas por dia, sem interrupção. “a PBGás está preparada não apenas para vender gás, mas para apresentar soluções de eficiência energética para os mercados residencial e comercial”, ressaltou Vasconcelos.

Ao fim da palestra, foi realizado um debate com outros palestrantes Jairo Perez, Nelma Araújo e Alana Rodrigues intermediado pelo empresário e diretor da Câmara Brasileira da Construção Civil, Irenaldo Quintans.

Relacionadas