sábado, 23 de janeiro de 2021

Economia
Compartilhar:

Trabalhadores têm dificuldade para sacar FGTS

Luís Eduardo Andrade / 27 de abril de 2017
Foto: Nalva Figueiredo
A Caixa Econômica Federal (CEF) iniciou no início deste mês o pagamento das contas inativas do FGTS para os paraibanos. Os primeiros contemplados foram os nascidos nos meses de março, abril e maio. No começo do processo, os saques estavam acontecendo sem grandes dificuldades, todavia, nos últimos dias, várias pessoas estão enfrentando filas enormes e tendo que lidar com uma comunicação falha por parte da CEF.

A jornalista Nice Almeida narrou seu suplício para conseguir apenas verificar o saldo do seu benefício em uma jornada que terminou sem final feliz. “Cheguei no banco que é aqui na esquina da minha casa, no Geisel, às 10h26 e saí de lá as 12h10 sem ser atendida. Meu número era 16 e ainda estava na 5. Tinha que ir trabalhar e não podia esperar mais”, declarou a jornalista.

Em nota, a CEF afirmou que disponibiliza mais de 10 agências para realização do saque do benefício na Paraíba, e que conta com profissionais preparados para atender à população. Contudo, não é o que os trabalhadores estão presenciando. “Tinham dezenas de pessoas para serem atendidas e apenas um funcionário prestando serviço”, finalizou Nice.

Tem ou não tem?

Ainda, muitas pessoas que buscam o benefício têm reclamado na comunicação falha entre aplicativos, internet e os terminais eletrônicos das agências. Vários trabalhadores afirmaram que quando têm acesso ao saldo do FGTS pelo aplicativo disponibilizado pela Caixa encontram um valor diferente do que existe quando acessam pelo caixa eletrônico.

Além disso, muitos funcionários também têm passado informações equivocadas aos beneficiários, como aconteceu com Genilda de Almeida de 34 anos, quando tentou verificar seu saldo na agência da Caixa Econômica da cidade de Bananeiras, que fica a 138 quilômetros de João Pessoa . “Quando eu soube desse FGTS inativo eu fui até a Caixa para saber se tinha algo para sacar. Ao chegar lá, um funcionário me informou que havia um saldo de R$ 114 para sacar referente à minha empresa atual. No mês seguinte, voltei à agência da Caixa para efetuar o saque e fui informada por outro funcionário que eu não tinha saldo disponível. Depois me falaram que o valor que o primeiro funcionário havia me informado era referente ao meu atual trabalho, logo, não poderia sacar”, narrou Genilda.

A CEF também informou que o meio mais confiável para ter acesso ao saldo das contas é mesmo através do portal criado pelo órgão para consulta (www.caixa.gov.br/contasinativas). Além disso, a assessoria da Caixa Econômica confirmou que orienta seus funcionários a só repassar as informações dos dados dos trabalhadores com base no saldo disponível no website em questão. Contudo, a população cobra mais organização da CEF no que diz respeito ao repasse do benefício. “A gente vai e as informações são todas desencontradas. Vai num caixa, diz uma coisa, vai em outro, diz outra. É uma grande falha da Caixa nesse atendimento. Os funcionários devem ser melhor orientados pra passar informação. Se não for com eles, vai ser com quem?”, finaliza Genilda.

Quanto já foi sacado?

Ainda de acordo com a assessoria da Caixa Econômica Federal, mais de 70 mil trabalhadores já sacaram o benefício na Paraíba, gerando uma injeção de aproximadamente R$ 67 milhões na economia do Estado.

Relacionadas