segunda, 20 de maio de 2019
Economia
Compartilhar:

Taxistas querem fiscalização de clandestinos e apps

Bárbara Wanderley / 28 de março de 2019
Foto: Assuero Lima
O trânsito parou por cerca de uma hora no entorno da Lagoa do Parque Solon de Lucena na manhã de ontem.

Motoristas de táxi, de transporte escolar e motoboys integrantes do Comitê em Defesa do Transporte Público bloquearam o anel interno da Lagoa, na faixa exclusiva para ônibus, e também as outras faixas na altura da Avenida Miguel Couto. Eles reivindicam fiscalização dos transportes coletivos e regulamentação dos transportes por aplicativo.

O presidente do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Trânsito no Estado da Paraíba, Antônio de Pádua, afirmou que todos os motoristas legalizados estão sendo afetados pelos transportes clandestinos e pelos aplicativos de transporte, sejam motoristas de ônibus, de táxi, de vans escolares e até mesmo motoboys. “Dois mil trabalhadores já ficaram desempregados desde 2014”, disse.

Com um carro de som, o grupo reivindicavam que a Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob) e a Secretaria de Segurança Pública precisam fiscalizar e combater o transporte clandestino de passageiros. Após cerca de uma hora o grupo deixou a Lagoa e se dirigiu à Câmara dos Vereadores.

Na Câmara, a reivindicação é de os aplicativos de transporte sejam regulamentados. “Já existe um projeto para isso lá, de autoria do vereador Lucas de Brito. Nós concordamos com o projeto, queremos que ele seja votado e aprovado”, disse Antônio de Pádua.

Segundo ele, o principal item diz respeito ao número de motoristas, que deveria ser equiparado. “Temos 1.440 taxistas rodando em João Pessoa, então é para ter 1.440 motoristas de aplicativo”, comentou. Antônio de Pádua afirmou ainda que, enquanto os taxistas colaboram com a cidade através do pagamento de impostos, o mesmo não ocorre com os aplicativos.

Hoje, às 11h, haverá uma reunião na Câmara Municipal de João Pessoa com representantes dos motoristas, vereadores e o superintendente da Semob-JP, Adalberto Araújo, para discutir as reivindicações da categoria.

Fiscalização



A Semob- JP informou que a fiscalização dos transportes clandestinos é realizada em parceria com o Ministério Público e com o apoio do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (BPTran), por conta do risco à segurança dos agentes de mobilidade. A fiscalização é feita com base na Lei Municipal 44/2007, que prevê a remoção do veículo ao pátio da Semob-JP e multa de 20 Ufir municipal.

Relacionadas