domingo, 19 de maio de 2019
Economia
Compartilhar:

Sebrae investe em projeto para transformar empresas em negócios inovadores

Fábio Cardoso / 22 de julho de 2018
Foto: DIVULGAÇÃO
O Sebrae da Paraíba tem projeto de Economia Criativa, orçado em R$ 700 mil para serem aplicados em nove municípios paraibanos - João Pessoa, Campina Grande, Patos, Cabedelo, Santa Rita, Remígio, Matinhas, São Mamede e Santa Luzia. O projeto visa transformar empresas em negócios criativos e inovadores, nos segmentos da música, do design, do audiovisual, da comunicação, das startups digitais e da tecnologia informação.

De acordo com Regina Amorim, gestora de Turismo do Sebrae, para otimizar o projeto nas cidades indicadas, será necessária uma contrapartida das prefeituras de 30% dos recursos financeiros a serem utilizados no decorrer do projeto. Nesse caso, explicou, a contrapartida pode varias de R$ 15 mil a R$ 25 mil, dependendo do tamanho do público alvo.

“Não havendo interesse da prefeitura, uma entidade de classe pode assumir essa contrapartida. Não havendo condição de contrapartida financeira, o município perde o projeto, que será remanejado para outro município, onde seja viabilizada a contrapartida financeira”, pontuou a gestora do Sebrae.

Regina Amorim apresentou o projeto de Economia Criativa durante uma reunião na cidade de Santa Luzia, na semana que passou. Na oportunidade, ela informou que o projeto visa transformar empresas em negócios criativos e inovadores, além de desenvolver negócios criativos.

Empretec. Durante o encontro, que aconteceu na Câmara Municipal de Santa Luzia, foi apresentado o curso Empretec, que é uma metodologia da Organização das Nações Unidas (ONU) que busca desenvolver características de comportamento empreendedor, bem como a identificar novas oportunidades de negócios. Atualmente, é promovido em cerca de 40 países. No Brasil, são mais de 250 mil empresários que já participaram do Empretec.

A gestora do Sebrae disse que existe a estimativa de que 28 empresários de Santa Luzia participem do Empretec. O curso será ministrado no período de 4 a 9 de dezembro.

Segundo Regina Amorim, a reunião foi importante por conta da participação de representantes da Câmara de Dirigentes Lojistas, entidade que possui 90 filiados e da Santura - Associação de Turismo e Cultura de Santa Luzia, que possui 30 filiados.

Restaurante rural em assentamento

A família do assentamento Tambaba, na Costa do Conde, na Paraíba, liderada pela matriarca Luiza e sua filha Nevinha, juntas com mais cinco irmãs, deixou a venda de doces e frutas na beira da estrada para se instalar em uma casa de taipa, onde começou a vender a pequena produção de doces caseiros, cachaça artesanal e algumas peças de artesanato.

Orientadas pelo Sebrae da Paraíba, a família cresceu, assim como o pequeno empreendimento. Da simples casa de taipa, foram construídas outras cinco, para a venda de produtos diferenciados, como os tradicionais doces, cachaça, bolos, sucos, tudo utilizando os produtos da região.

Cada irmã ficou com um tipo de produto. Todas deixaram de trabalhar em pousadas e restaurantes da região para viver com o seu próprio sustento. Cada uma tem a sua renda - cerca de um salário mínimo -, mas Nevinha disse que existe ajuda mútua, quando falta dinheiro para pagar a conta de uma, todas fazem uma cota e ajudam.

Nevinha, com os olhos marejados, conta que na época em que vendia seus produtos na beira da estrada, levava a filha ainda quase de colo. Hoje, não só a filha, mas todas as crianças estão envolvidas de alguma forma no projeto de expansão dos negócios.

O sonho de todos agora é a construção de um restaurante rural. Segundo Nevinha, os turistas chegam no assentamento e não querem ir mais embora. “Eles querem ficar, almoçar, deitar na rede e não temos um lugar para atendê-los. Estamos conversando com o pessoal do Sebrae, porque eles têm umas ideias para a gente, acredito muito no trabalho deles”.

Essa seria, como os estudiosos afirmam, a essência do turismo de vivência e de economia criativa.

Relacionadas