sábado, 19 de junho de 2021

Economia
Compartilhar:

Produtos de fim de ano vão cair na boca do Leão

Redação com assessoria / 16 de dezembro de 2016
Foto: Divulgação
Com o fim do ano, vêm muitas confraternizações e comemorações, mas quem pretende fazer a festa, mais uma vez, é o Leão. Ele está de olho também a ceia de Natal. Conforme apurou  o Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação - IBPT, quem pretende reunir a família para o jantar natalino, vai pagar caro este ano, pois a fera deve abocanhar 29,32% do preço do peru, chester ou pernil, que serão destinados aos cofres públicos, nos âmbitos federal, estadual e municipal.

E a sanha por arrecadação não para por aí: outros produtos muito consumidos nas festividades de fim de ano, como, champagne ou o espumante (59,49%); panetone (34,63%), e nozes (36,45%), tem a tributação ainda maior, sendo que  os valores de venda já possuem os impostos embutidos nos preços dos produtos, portanto, o consumidor  não tem como escapar.

Os que pretendem presentear um amigo ou familiar, esses sim devem preparar o bolso, os tributos podem chegar a quase 80%, especialmente os itens de beleza como: perfume importado, 78,99% e maquiagem importada, 69,53%. Os queridinhos do momento são os produtos eletrônicos, nestes os impostos atingem  até 72,18% do valor do videogame, 39,12% no preço do Ipad e 33,80% do preço do telefone celular. Além do presente da criançada, nos quais, em geral, 39,70%  do valor vão para os cofres públicos.

Ainda os contribuintes que decidirem viajar, devem pagar 29,56% em impostos no preço da hospedagem em um hotel, e 22,32% das passagens áreas são encargos. Nestes tempos de crise, mesmo o contribuinte brasileiro que optar por apenas decorar sua casa não escapará da mordida do leão, pois a árvore de Natal é tributada em (39,23%); enfeites (48,02%), e presépio (35,93%).

O presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike, explica que mais uma vez, os brasileiros são prejudicados pela alta carga tributária, que impede que os consumidores comprem mais e melhor. "A alta carga tributária, principalmente a decorrente dos tributos sobre o consumo, incidem sobre as vendas das empresas e são repassadas para o preço das mercadorias e serviços, fazendo com que o valor final fique mais caro e portanto, menos acessível ao consumidor final".

impostos_leao

 

 

Relacionadas