quarta, 25 de novembro de 2020

Economia
Compartilhar:

Porto de Cabedelo ameaçado por redução de operação de importações

Adriana Galvão com assessoria / 13 de setembro de 2016
Foto: Rafael Passos
O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Derivados de Petróleo da Paraíba (Sindipetro-PB) emitiu nota nessa terça-feira (13) denunciando que a Paraíba deve perder para Pernambuco toda a logística de distribuição de produtos e bens da chamada cadeia de combustíveis. De acordo com a entidade, nos últimos meses o Porto de Cabedelo já perdeu dois terços das operações de importação e cabotagem de produtos derivados de petróleo.

“A expectativa é que todo o processo de distribuição seja transferido para Pernambuco”, disse ele. Omar atribui os problemas à falta de infraestrutura do porto para a atividade de “cabotagem de granéis líquidos”. Ele cobra do Governo do Estado, responsável pela Companhia Docas da Paraíba, administradora do porto, providências urgentes para evitar que haja migração total da atividade para o Porto de Suape, em Pernambuco.

O terminal portuário de Cabedelo era responsável por um movimento mensal de 70 mil toneladas de granéis liquidos, mas nos últimos meses passou a receber apenas uma média de 24 mil toneladas, ou seja, uma redução de quase 80% na movimentação de cabotagem, que foi transferida para Pernambuco.

Omar Hamad lembrou que desde 2011 a entidade denuncia o problema, mas até agora nada foi feito para melhorar as condições estruturais do Porto. “Isso vem levando as empresas a transferirem suas atividades para Pernambuco, causando enormes prejuízos à já combalida economia paraibana. Se nada for feito em termos de melhorias e adequações, perderemos toda a atividade para Suape em breves dias”, previu.

Segundo dados repassados pelo Sindipetro-PB, o Complexo de Suape vem se consolidando como um porto movimentador de granéis líquidos, desde a implantação da Refinaria Abreu e Lima (Rnest) no final de 2014. De janeiro a julho deste ano a movimentação de petróleo cresceu 87,35%, na comparação com igual período de 2015, e o porto alcançou a marca de 2,7 milhões de toneladas movimentas nos sete primeiros meses do ano, ante os 1,4 milhão de toneladas do mesmo intervalo anterior.

O Correio Online entrou em contato com a superintendente da Companhia Docas da Paraíba, Gilmara Timóteo, por telefone, e ela disse que já havia conversado com o presidente do Sindipetro-PB para agendar uma reunião na qual discutiriam sobre o problema. Ela não quis adiantar quais providências estariam sendo tomadas pela administração da companhia.

O que é cabotagem?

Cabotagem é a navegação entre portos do mesmo país utilizando as vias marítimas ou vias navegáveis interiores. Diferente da navegação de longo curso, nesse trajeto não se perde a costa de vista.

O termo cabotagem é derivado de Caboto, sobrenome de um navegador veneziano do século XVI que explorou a costa da America do Norte e cujo nome era Sebastião. Na época, ele adentrou o Rio da Prata, estuário das águas dos rios Paraná e Uruguai e do oceano, em busca da Mística Serra da Prata por um período de dois anos. Em função desse feito na navegação, esse deslocamento costeando o litoral recebeu o nome de Cabotagem.

Relacionadas