segunda, 20 de maio de 2019
Economia
Compartilhar:

Peças de artesanato produzidas na Paraíba são comercializadas durante o Salão

Bárbara Wanderley / 20 de março de 2019
Foto: Assuero Lima
A logística é o principal entrave para o crescimento do artesanato paraibano. É o que afirma a gestora do Programa de Artesanato da Paraíba (PAP), Marielza Rodrigues. Apesar das dificuldades, o artesanato do estado tem grande destaque nacionalmente e o programa conta com mais de seis mil artesãos cadastrados.

O principal problema, conforme explicou a gestora do PAP, é que muitos artesãos tradicionais vivem em áreas rurais do interior do estado. Locais que muitas vezes não possuem sinal de internet e nem mesmo ruas calçadas. Como fazer então para que a produção saia dos sítios e chegue aos consumidores? Resolver essa logística de comercialização não é tarefa fácil e Marielza Rodrigues admite que ainda não há solução a curto prazo.

A gestora garantiu, porém, que o PAP continuará prestando toda a assistência aos artesãos e contou que pretende retomar os cursos de capacitação do programa, levando oficinas, workshops e seminários para os artesãos.

Comemoração. Para celebrar o Dia do Artesão, que foi comemorado ontem, o PAP realizará três seminários sobre a situação do artesão paraibano. Hoje, o evento será voltado aos artesãos da Capital, enquanto que amanhã o evento será realizado em Campina Grande e, na sexta-feira, em Patos.

"Muita gente ficou com uma visão de que o PAP (Programa de Artesanato da Paraíba) serve apenas para organizar os dois salões de artesanato, o de João Pessoa e o de Campina Grande, mas o programa é muito mais do que isso" falou  a gestora do PAP, Marielza Rodrigues.

Parceria com Sebrae

Marielza Rodrigues contou que o PAP está articulando uma parceria com o Sebrae Paraíba para montar um cronograma de capacitação e oferecer aos artesãos cursos na área de gestão. Ela explicou que as habilidades artesanais na maior parte das vezes são transmitidas de uma geração para outra, mas nem sempre o artesão sabe como transformar a sua arte em um negócio rentável.

Além disso, também é importante que os artesãos aprendam e se adaptem sobre novas perspectivas de mercado e o uso da tecnologia para que consigam expandir cada vez mais suas vendas e consequentemente seus negócios.

A 29ª edição do Salão de Artesanato da Paraíba ocorreu entre o final de dezembro de 2018 e janeiro de 2019, no Espaço Cultural, em João Pessoa, reunindo 389 artesãos. Já o Salão de Artesanato de Campina Grande ocorre sempre em junho, junto com a programação do Maior São João do Mundo. Além de servirem como vitrine para o trabalho dos artesãos do estado, os eventos auxiliam nas vendas dos artesãos mais isolados, que normalmente têm dificuldades para escoar a produção.

Relacionadas