terça, 13 de abril de 2021

Economia
Compartilhar:

Paraíba teve maior taxa de desocupação dos últimos 5 anos

Celina Modesto / 11 de março de 2017
Em 2016, a Paraíba registrou taxa de desocupação de 11,4%, a maior dos últimos cinco anos. Ao mesmo tempo, o nível de ocupação também caiu, passando de 50,5% em 2012 para 47,3% em 2016. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Considerando apenas o último trimestre do ano passado, quando a Paraíba registrou 11,9% de taxa de desocupação, o estado ficou no segundo lugar entre as menores taxas da região.

“A Paraíba não está entre as menores e nem as maiores taxas de desocupação do país. Mas, considerando que o Nordeste é campeão em desemprego e isso é um fator histórico, a Paraíba ter uma das menores taxas da região é bom. Ainda é alta, mas não está numa situação tão ruim em comparação com outros estados”, afirmou o supervisor de disseminação de informações (SDI) do IBGE, Jorge Souza.

Apesar disso, dois indicadores chamam a atenção em relação ao mercado de trabalho na Paraíba: o crescimento da participação do trabalhador com carteira assinada e a diminuição da informalidade. Em 2016, a Paraíba registrou uma média de 361 mil empregados com carteira assinada, enquanto em 2012 havia 329 mil. Por sua vez, a participação no mercado de trabalho de empregados com carteira assinada passou de 21,79% em 2012 para 24,13%, de acordo com os dados do IBGE.

“Houve pequeno crescimento da importância dos assalariados no total dos ocupados, mesmo diante de dois anos de recessão. O mercado de trabalho é muito sensível ao comportamento da economia. Mas, na Paraíba, mesmo com crise, houve esse crescimento, embora pequeno, e que não é algo apenas local. O Nordeste tem registrado o aumento no número de carteiras assinadas nos últimos anos. Ainda é cedo para dizer, no entanto, se é algo estrutural ou conjuntural”, explicou Souza.

Ainda, considerando a contribuição de previdência, um dos indicadores que mensuram a informalidade no mercado de trabalho, é possível perceber que houve redução no número de não contribuintes. De acordo com os dados do IBGE, no último trimestre de 2012 havia 813 mil não contribuintes na Paraíba, correspondendo a 54,3% do total de ocupados. No mesmo período de 2016, o número de não contribuintes caiu para 704 mil, com participação de 47,8% no total de ocupados.

“No Nordeste como um todo houve essa redução da informalidade no mercado de trabalho e não seria diferente na Paraíba. Embora esse não seja o único indicador desse item, é importante. Desde os anos 1990 e 2000 que registramos essa queda na informalidade, mesmo em outras pesquisas que possuem metodologias diferenciadas. Assim, a PNAD retrata a continuidade desse processo, que podemos associar ao aumento do número de trabalhadores com carteira assinada, já que quem tem carteira assinada tem os direitos previdenciários garantidos”, afirmou o supervisor do IBGE.

Relacionadas