terça, 19 de janeiro de 2021

Economia
Compartilhar:

Paraíba tem a primeira cerveja 100% registrada no Ministério da Agricultura

Érico Fabres / 30 de dezembro de 2017
Foto: Divulgação
Criada em 2012, a Vàik se tornou na semana passada, oficialmente, a primeira cerveja paraibana com registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), ou seja, é a única produzida no Estado que pode ser comercializada. O nome foi criado baseado em pesquisas bibliográficas de que o hidromel tenha sido a primeira bebida alcoólica desenvolvida pelo homem e que os vikings foram responsáveis por difundí-la. Em homenagem a isso, a partir da pronuncia em inglês das três primeiras letras isoladas do nome viking (vik), foi criada a Vàik. O químico industrial Paulo Canuto foi o criador dos primeiros lotes da bebida ‘nórdico-paraibana’ e, agora, realizador também de um sonho que sempre teve: tornar a cerveja (que substituiu o hidromel entre 2014 e 2015, já que ela tinha um custo muito elevado) conhecida em toda a Paraíba e, mais adiante, talvez estender para outros locais.

“O primeiro lote de hidromel durou dois anos para ficar devidamente pronto, e foi envelhecido em barris de carvalho europeu e nacional. Logo percebi que para colocar uma bebida como essa no mercado ou o investimento teria que ser absurdamente alto, para ter um fluxo contínuo de produção, ou a bebida sairia muito cara ou a qualidade teria que ser reduzida. As possibilidades eram inviáveis. Nesse meio tempo comecei a me interessar por cerveja, uma vez que o tempo de produção de um lote, seja ela qual estilo for, é bem inferior ao do hidromel”, conta.

Tendo em mente o diferencial, Canuto começou a desenvolver em laboratório as primeiras receitas, porém lhe faltava um crescimento e amadurecimento profissional, e foi aí que entrou na AmBev, onde foi treinado em todas as áreas da empresa, vivenciando a gestão da multinacional e aprendendo muito sobre o processo, maquinários necessários, como gerir uma produção, enfim, como ganhar dinheiro com cerveja. “Absorvi tudo que precisava e decidi partir para o mestrado em Engenharia Química na Universidade Federal da Paraíba, onde tive ênfase em Biotecnologia e estudei mais uma vez a produção de cerveja. Uni o conhecimento que adquiri na AmBev com a qualidade acadêmica e juntamente com um sócio abrimos a empresa, 4G Fabricação de Cervejas e Chopes LTDA, que hoje se encontra na cidade de Patos com capacidade produtiva de três mil litros por mês.

A Vàik entra no mercado com o estilo Vienna Lager, com o intuito de produzir a melhor cerveja para os melhores clientes, afirma o empresário. “Utilizamos matéria-prima 100% importada, da Bélgica, Alemanha, Inglaterra, República Tcheca e Estados Unidos. Dessa forma conseguimos assemelhar a nossa cerveja a grandes marcas internacionais e colocar o nosso produto na mesa de nossos consumidores com qualidade diferenciada e preço competitivo”, diz.

Ele acredita que perspectivas de crescimento são boas, pois o mercado já absorve o produto muito bem, tratando-se da primeira cervejaria artesanal paraibana em atividade completamente legalizada junto ao Ministério da Agricultura, com registro de estabelecimento MAPA PB-000676-9 do produto (Vienna Lager).

Relacionadas