sexta, 18 de setembro de 2020

Economia
Compartilhar:

Paraíba foge da crise e deve gerar até 5,5 mil novos empregos no final do ano

Maurílio Júnior / 27 de outubro de 2015
Foto: Arquivo
Faltando menos de dois meses para o natal, guirlandas, árvores, pisca-pisca, enfeites e papai Noel já são vistas em lojas do centro de João Pessoa. E o cenário de instabilidade financeira que se impõe para os brasileiros em 2015 não deve afetar o comércio nas vendas de fim de ano e nem mesmo na geração de emprego. A estimativa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Paraíba (Fecomércio), é de que, pelo menos, 5,5 mil novos empregos sejam gerados no período.

O otimismo é compartilhado pelo presidente da Fecomércio, Marconi Medeiros. Para ele, a geração de emprego no Estado não sofrerá retrocesso por causa da crise. “A estimativa é de que, em toda a Paraíba, sejam geradas entre 5.000 e 5.500 vagas de empregos temporários para o período de fim de ano, número aproximado ao apresentado em 2014", afirmou.

Marconi explicou que a expectativa positiva se deve ao equilíbrio financeiro do Estado. "Isto se deve ao fato do nosso Estado encontrar-se financeiramente equilibrado, apesar da instabilidade observada no cenário nacional e em outros Estados da Federação”, disse.

Empregados do comércio também estão confiantes

A projeção do presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio da Grande João Pessoa, Rogério Braz Oliveira, não é diferente. Ele assegura não acreditar em um retrocesso quanto à movimentação registrada no ano passado.

“Assim como nos anos anteriores todos consumidores farão suas compras, lógico que, com mais prudência, mais comedidos diante do cenário atual, mas com certeza farão suas confraternizações até pela nossa cultura de gostar de presentear”, disse.

Rogério Braz ressalta que as vendas devem se manter aquecidas em relação ao crescimento das vendas durante o ano. “Não restam dúvidas. Como no ano passado, acreditamos que a movimentação no mercado deve se manter em aproximadamente 8%. É o que o mercado cresce anualmente”, afirmou.

Ainda para Braz, a fórmula para tentar atrair os clientes diante da sensação de insegurança financeira é a de sempre.  “Bom atendimento é imprescindível em qualquer época do ano. E, claro, a divulgação, explorar bem a mídia faz sempre a diferença”, acrescentou.

Relacionadas