terça, 16 de julho de 2019
Economia
Compartilhar:

Paraíba fechou 2018 com 5.377 novos empregos

Bárbara Wanderley / 24 de janeiro de 2019
Foto: Marcos Santos/USP Imagens/Fotos Públicas
A Paraíba fechou o ano de 2018 com um saldo de 5.377 empregos formais gerados, sendo 2.202 em João Pessoa, embora em dezembro o estado tenha perdido 2.616 postos de trabalho com carteira assinada, enquanto a capital paraibana perdeu 579. Em 2017, o resultado tinha sido negativo, com 3.485 postos de trabalho a menos no estado.

No país, foram abertas 529.554 vagas formais em 2018, sendo que este é o primeiro saldo positivo em três anos. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho.

O setor de Serviços foi o maior responsável pela geração de empregos formais na Paraíba, tendo criado 4.360 novas vagas, o equivalente a 81,08% do total de empregos gerados durante o ano. Logo em seguida veio o comércio com 1.874 empregos formais gerados em 2018. A maior queda ficou com o setor da construção civil, que perdeu 1.082 postos de trabalho.

Para o presidente do Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação de João Pessoa (Seha-JP), Graco Parente Neto, o setor de serviços é influenciado principalmente pelo Turismo, que envolve, em sua cadeia produtiva, 57 atividades.

Segundo Parente, o setor de hospedagem conseguiu manter a taxa de ocupação, o que é motivo de comemoração. Outros estados, como o Rio de Janeiro, por exemplo, não conseguiram o mesmo feito, não só pelo fator econômico, mas também por outros motivos, como a violência.

O único problema, conforme explicou o presidente da Seha-JP, é que o valor da hospedagem se manteve o mesmo. “Conseguimos manter a taxa de ocupação, mas não conseguimos repassar o aumento que tivemos nos custos”, disse. Ainda assim, as perspectivas para 2019 são boas. “Todo empresário é otimista e eu também sou. Há uma perspectiva de melhora e estamos ansiosos para gerar ainda mais empregos”.

"O setor de Turismo é um grande gerador de empregos e tem uma recuperação muito rápida. O mercado já vem mostrando sinais de melhora." - Graco Parente, presidente do SEHA-JP

Relacionadas