Acesso

Economia
Compartilhar:

PB fecha 1,9 mil postos de trabalho em março

Celina Modesto / 21 de abril de 2017
Foto: Divulgação
A Paraíba fechou 1.939 postos de trabalho com carteira assinada em março deste ano, de acordo com dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), divulgados ontem. Na região, o estado ocupa o terceiro lugar no ranking e, no país, o 16º. Nenhum estado do Nordeste criou vagas de trabalho formal no período. Além disso, no Brasil apenas cinco estados geraram empregos com carteira assinada em março deste ano.

Desde 2008, a Paraíba vem registrando fechamento de postos de trabalho formais, sendo que em 2015 atingiu o maior patamar, com menos 5.691 vagas. Por sua vez, o volume verificado neste ano é o menor dos últimos dez anos, de acordo com a série história divulgada pelo Ministério do Trabalho e Emprego. O fechamento de 1.939 postos de trabalho no estado corresponde a uma variação negativa de 0,49% em relação ao estoque de assalariados do mês anterior.

No acumulado de 2017, foram fechados 9.455 postos de trabalho, uma variação negativa de 2,37% em comparação ao mesmo período do ano anterior. De acordo com os dados do Caged, a indústria da transformação e o setor de serviços foram os responsáveis pela queda no trabalho formal na Paraíba com, respectivamente, 649 e 498 vagas fechadas. Por outro lado, os setores que registraram resultado positivo em março deste ano foram construção civil (73) e serviços industriais de utilidade pública (20). Ainda, no período avaliado, a Paraíba registrou 8.615 admissões e 10.554 desligamentos.

Santa Rita perdeu mais empregos

Pelo terceiro mês consecutivo, o município de Santa Rita foi o que perdeu mais empregos formais na Paraíba, com o fechamento de 920 vagas. Além disso, João Pessoa também registrou alta taxa de fechamento de vagas, com menos 846 vagas. Outras cidades que registraram mais demissões que admissões no mercado de trabalho formal foram: Campina Grande (-34), Bayeux (-21), Esperança (-15), Pombal (-13), Cajazeiras (-9) e Sapé (-7).

Por sua vez, os municípios paraibanos que, mesmo diante de um contexto de perdas conseguiram criar postos de trabalho com carteira assinada estão: Patos (61), Monteiro (22), Guarabira (19), Solânea (18), Sousa (12), Cabedelo (11), Mamanguape (11), São Bento (8) e Queimadas (3).

Relacionadas