quinta, 06 de maio de 2021

Economia
Compartilhar:

Paraíba é o segundo maior polo calçadista do mercado nacional

Lílian Moraes / 19 de julho de 2018
Foto: Reprodução
A Paraíba é o segundo maior polo produtor de sapatos do Brasil, à frente do Rio Grande do Sul e de São Paulo. A informação é do vice-presidente do Sindicato da Indústria de Calçados da Paraíba (Sindicalçados), Eduardo Souto, que participa junto com mais sete empresas paraibanas da 50ª Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios (Francal), em São Paulo, com apoio do Sebrae, Fiep e Sindicalçados.

Com 96 empresas de calçados, sandálias, tênis e acessórios em couro como bolsas, cintos, carteiras, a Paraíba, de acordo com Eduardo Souto, conquista o mercado brasileiro e internacional pela qualidade dos produtos que concorrem em nível de igualdade com os outros polos calçadistas. São mais de um milhão de sapatos produzidos por dia de todas as fábricas instaladas na Paraíba.

De acordo com ele, a indústria de calçados emprega 30 mil pessoas no Estado da Paraíba. Ele explica que a Paraíba trabalha com as melhores matérias primas e todos os acessórios que vão dos solados, colas, cadarços, fivelas com informação de moda e tecnologia de conta. “Nossos calçados e acessórios estão presentes em vários Estados do Brasil e no exterior também”. Ele exlica que o cliente é exigente porque tem conhecimento de moda e tecnologia.

92,1%

O polo calçadista de Campina Grande - Campina Grande, Mogeiro, Araruna, Guarabira, Serra Redonda, Ingá e Alagoa Nova - é responsável por 92,1% da produção paraibana de calçados.

O presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein, ressaltou que as condições para uma recuperação no segundo semestre estão presentes e que podem trazer resultados ainda melhores do que o mesmo período de 2017.

O executivo lembrou ainda que o produto brasileiro está presente em 150 países e que o crescimento do setor passa pela modernização e inovação fabril.

O empresário Alberto Lima, da Art Calçados, afirma que a participação na Francal junto com 300 empresas do Brasil e do exterior mostra que o Nordeste tem informação de moda e tecnologia para realizar negócios para todo o Brasil e exterior.

Relacionadas