terça, 19 de janeiro de 2021

Economia
Compartilhar:

Pequenos hábitos podem gerar economia de R$ 1 mil

Érico Fabres / 15 de maio de 2016
Foto: Rafael Passos
Em seu Blog Vida Organizada, a escritora Thais Godinho cita 25 gastos que as pessoas nem percebem (pegamos 15 deles para avaliar junto aos paraibanos), mas que, acumuladas, geram um custo que poucos imaginam. Uma simples rotina de café pode gerar uma conta que chega aos R$ 60 ao mês. Um pano de chão que pode custar R$ 36 ao ano. Um lanche na rua que despende, no mínimo, o dobro.

No total, chega-se a ultrapassar a quantia de R$ 1 mil a cada 365 dias, podendo aumentar ainda mais 30% no caso das assinaturas de TV a cabo junto com a internet, sendo que o segundo oportuniza o sistema Netflix.

Para o microempresário José Gilmar Bezerra Júnior, 31 anos, as compras são feitas apenas uma vez ao mês para que não haja gasto de gasolina desnecessário e também de tempo, além das compras desnecessárias que cada ida ao supermercado gera.

De acordo com ele, alguns produtos que possuem uma validade mais extensa ele compra em tamanhos maiores que geram um desconto em relação aos menores (400g e 800g, por exemplo). Ele também aproveita muito as ofertas de leve 3 e pague 2, porém somente quando algum produto semelhante não tenha um preço mais atrativo. Para algumas situações, ele e a família preferem o atacado, mas como são apenas ele a esposa e o filho, não são muitos os produtos adquiridos fora do comércio tradicional.

Desconto para o perfil do cliente

É comum achar um ou outro produto, principalmente de higiene, nas promoções pague 2 e leve 3, pague 5 e leve 6, ou outras oportunidades semelhantes. O supermercado Extra aproveitou o mote e lançou a campanha 1, 2,3 Passos da Economia que garante descontos progressivos ao cliente. Na compra de um item o cliente ganha 20% de desconto; na compra de duas unidades iguais, ele ganha 50% de desconto na segunda unidade; e, na compra de três unidades, o cliente paga 2 e leva 1 grátis em mais de 1000 produtos participando dessa mecânica todos os dias.

A seleção de itens é alterada a cada 15 dias. “O Extra acompanha e analisa as tendências de consumo. Percebemos que o cliente está ainda mais em busca de ofertas e da compra inteligente: ele está de olho em bons preços e estocando mais quando encontra boas oportunidades, principalmente em itens de primeira necessidade. Pensando nisso, a rede reforçou as negociações com os fornecedores, oferecendo mecânicas promocionais diferenciadas.

Reaproveitamento

Para a assistente social Valéria Fragoso, 55 anos, quase tudo é reaproveitado em casa para economizar, um hábito que se tornou ainda mais comum final de 2015, quando a crise econômica mostrou que perduraria mais algum tempo. Ela conta que até mesmo o jornal é grampeado para ser utilizado como saco de lixo. Toalhas e colchas velhas viram pano de chão. E roupa somente o necessário e nunca lançamentos, de preferência promoções. O café rotineiro foi cortado, bem como os lanches na rua, salvo ocasiões em que sai com a filha e a mãe para passear. A outra exceção é a ração do cachorro, que come também frutas e verdura, por isso os pacotes comprados são de um quilo para que não vençam e gerem desperdício.

Relacionadas