sábado, 21 de setembro de 2019
Economia
Compartilhar:

Número de empresas cresce 14,4% em dez anos na Paraíba

Ellyka Gomes / 27 de junho de 2019
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
O número de empresas e outras organizações cresceu 14,4% em dez anos na Paraíba. Em 2008, eram 55,3 mil estabelecimentos em atividade no Estado. Em 2017, o número subiu para 63,2 mil. Mesmo em meio à recessão econômica, a quantidade de empresas ativas na Paraíba registrou um aumento de 0,2% entre 2016 e 2017.

Os dados fazem parte do estudo Estatísticas do Cadastro Central de Empresas (Cempre) 2017, divulgado ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O material traz ainda dados sobre número de pessoal ocupado; pessoal ocupado assalariado; salários e outras remunerações; salário médio mensal; e classifica essas informações por setor de atividade e por municípios.

Pessoal ocupado

Segundo o Cempre, a quantidade de pessoal assalariado na Paraíba cresceu 28,2% em dez anos, passando de 487,5 mil, em 2008, para 625,1 mil em 2017. O percentual de variação foi maior do que o registrado em pessoal ocupado, que cresceu 26,7% no mesmo período. Em 2008, o Estado tinha 551,5 mil pessoas ocupadas. Em 2017, o número subiu para 698,8 mil. Já o salário médio mensal do paraibano caiu de 2,3 salários mínimos, em 2008, para 2,2 salários mínimos em 2017.

Por setores

A atividade classificada como “comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas” foi a que registrou o maior número de empresas ativas em 2017, com 63.297 estabelecimentos em atividade. Depois apareceram “outras atividades e serviços” (28.147), “atividades administrativas e serviços” (5.458), “indústria de transformação” (4.146), “construção” (3.761), “educação” (3.092) e “alojamento e alimentação” (2.825).

Em 2017, mais de um terço do pessoal ocupado na Paraíba estava no setor público. Segundo o Cempre, “administração pública, defesa e seguridade social” empregou 227.735 pessoas, representando 36,39% do total de pessoas ocupadas no Estado naquele ano. Completaram o pódio, “comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas”, que empregou 130.905 pessoas, e indústrias de transformação, com 74.487.

Relacionadas