quarta, 25 de novembro de 2020

Economia
Compartilhar:

Novo salário mínimo não anima o pessoense

Rammom Monte / 30 de dezembro de 2015
Foto: Diego Nóbrega / Arquivo
O decreto assinado pela presidente da República, Dilma Rousseff, nessa terça-feira (29), reajustando o valor do salário mínimo para R$ 880 não animou o cidadão. Pelo menos não o pessoense. O CORREIO ONLINE foi às ruas e fez uma pequena enquete com 15 pessoas. E a resposta foi unânime: nenhum dos entrevistados avaliou o aumento como positivo. Dentre as principais reclamações está o fato do aumento do salário não acompanhar a inflação, principalmente na alta dos preços de energia, combustível e alimentação.

Confira abaixo algumas das respostas dos entrevistados.

Ednaldo Amaro, 40 anos



“Acredito que não muda muita coisa. Porque aumenta tudo junto com o salário. A inflação está muito alta. Na prática não vai mudar nada. É uma tentativa de tapar o sol com a peneira”.

Paulo Vicente, 48 anos

“Felizmente eu não vivo com apenas um salário mínimo, mas acho que é muito pouco para manter uma família. Porque com o aumento do salário vem também o aumento de tudo. Por exemplo, eu que vendo batatas, comprava uma saca por 110, 120 reais no mês passado, esse mês já está custando em média 220 reais. Se aumenta para a gente, aumenta para o consumidor também, porque precisamos vender mais caro”.



Juarez Calábria, 44 anos


“Na verdade vai é piorar com este aumento, porque aumenta tudo junto com o salário. Se aumenta o salário, pode ter certeza que as outras coisas vão dobrar ou triplicar o preço”.

João Afonso, 70 anos



“Eu acho que vai mudar, mas para pior. Se você olhar bem, as coisas já aumentaram o preço antes do aumento do salário. Imagina a partir de janeiro. Vai ser um horror”.

Reginaldo Vicente



“Não vai mudar é nada. A inflação já comeu todo esse aumento. Aumentaram só 92 reais nos salários, mas as outras coisas subiram o preço muito mais. Na verdade, a tendência é piorar”.

Relacionadas