domingo, 17 de janeiro de 2021

No Nordeste
Compartilhar:

PB foi o que menos perdeu usuários de planos de saúde no Nordeste

Alyf Santos / 25 de maio de 2016
Foto: Divulgação
A crise econômica que assola o bolso dos brasileiros requer uma revisão no orçamento mensal. Há quem esteja abrindo mão até do plano de saúde e buscando atendimento ao Sistema Único de Saúde (SUS). E foi isso que ocorreu também na Paraíba onde  1,2 mil usuários abriram mão dos planos de saúde. Porém, apesar de seguir o cenário nacional, o Estado foi o que menos apresentou redução nos números em todo o Nordeste.

Na última atualização da Agência Nacional de Saúde (ANS), no trimestre desse ano 424.362 pessoas estão em atendimentos por plano de saúde no estado, os números equivalem a 10,75% da população paraibana. Em comparação ao último trimestre do ano passado, houve uma redução de 1.264 contratos com os serviços de saúde por meio do plano.

A ANS divulgou em pesquisa recente que no Brasil mais de 1,3 milhões pessoas deixaram seus planos de saúde. Os dados foram referentes a 2015 e somados juntamente com o primeiro trimestre deste ano. A não empregabilidade no país é uma das razões para que esses números não parem de crescer.

Segundo Fábio Tiepolo, diretor executivo (CEO) do aplicativo de medicina humanizada Docway, devido às altas taxas de desemprego, as pessoas acabam não migrando dos planos de saúde empresariais para os planos individuais e buscam ao Sistema Único de Saúde (SUS), porém ele também não tem dado conta de atender a demanda e acaba sobrecarregado, oferecendo um péssimo atendimento.

“Por conta do aumento do desemprego as pessoas não recontratam planos individuais e migram para o SUS. Atualmente, 25% da população conta com o sistema privado de saúde, deixando os outros 75% para o sistema público que já está sobrecarregado e tende a piorar”, alerta Fábio.

Se os planos de saúde estão muito caros e o SUS não está conseguindo dar conta da demanda, os pacientes tem que procurar outras alternativas que ofereçam melhor atendimento e preço, como é o caso do Docway.

“Geralmente é durante a crise que surgem novas oportunidades, estamos evoluindo a cada dia quando o assunto é saúde de qualidade. O Brasil é um país em potencial e soluções estão sendo apresentadas todos os dias na área da saúde” explica Tiepolo.

O diferencial do aplicativo é que ele oferece atendimento médico de qualidade em poucos cliques a um custo muito acessível atendendo uma grande parcela da população. No Docway, que roda nos sistemas Android e IOS, há um banco de dados médicos disponíveis e o valor das consultas. Ao escolher a especialidade, o usuário pode solicitar a consulta seja para aquele exato momento ou com o dia e hora marcada. Para o médico, aparecem consultas disponíveis, sendo que ele aceitará a solicitação conforme a conveniência e as atividades já cadastradas por ele. Assim que o profissional aceita a consulta, o paciente recebe a confirmação.

“No próprio aplicativo, o paciente é informado sobre o preço da consulta que é compatível com o valor de uma consulta de rotina particular. Se ele possuir plano de saúde, o valor pode ser devolvido integralmente ou parcialmente pela operadora de saúde – conforme contrato firmado com o plano – ou escolher pela dedução do Imposto de Renda”, comenta Fábio.

Ranking da redução do plano de saúde no Nordeste

1º- Bahia 32.031

2º- Ceará 23.434

3º- Alagoas 14.733

4º- Pernambuco 14.258

5º- Maranhão 10.447

6º- Rio Grande do Norte 9.174

7º- Piauí 3.320

8º- Sergipe 2.894

9º- Paraíba 1.264

Relacionadas