sexta, 27 de novembro de 2020

Economia
Compartilhar:

Metro quadrado da Paraíba é o 2º mais caro do Nordeste

Da redação com assessoria / 09 de março de 2016
Foto: Nalva Figueiredo
Construir imóveis na Paraíba está ficando cada vez mais caro. É o que aponta Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (9). De acordo com o levantamento, em fevereiro, a Paraíba foi o segundo estado do Nordeste em que se gasta mais por metro quadrado para se construir. Se não for levada em conta a desoneração da folha de pagamento das empresas do setor de construção civil, no mês passado o custo médio para a construção no estado eram de R$ 1.001,29 por metro quadrado. O número só fica atrás do Piauí, em que o custo é de R$ 1.015,34/m².

Em relação ao mês de janeiro, o custo médio para construção por metro quadrado na Paraíba em fevereiro subiu 0,62%. Se comparado a fevereiro de 2015, a diferença chega a 4,01%.

Em números absolutos, se for levada em conta a desoneração da folha de pagamento, o valor médio por metro quadrado para se construir na Paraíba em fevereiro foi de R$ 939,66, ficando atrás novamente apenas do estado do Piauí, em que o custo médio foi de R$ 952,54.

Imóveis por m²

No Brasil, o Sinapi apresentou variação de 0,84% em fevereiro, ficando 0,29 ponto percentual acima da taxa de janeiro (0,55%). Os últimos 12 meses foram para 6,55%, resultado acima dos 5,86% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em fevereiro de 2015, o índice foi 0,18%. O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em janeiro fechou em R$ 968,70, em fevereiro subiu para R$ 976,82, sendo R$ 523,53 relativos aos materiais e R$ 453,29 à mão de obra.

Região Nordeste tem a maior variação mensal

A região Nordeste, com 1,29%, ficou com a maior variação regional em fevereiro. As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 0,57% (Norte), 0,62% (Sudeste), 0,96% (Sul) e 0,47% (Centro-Oeste).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.006,32 (Norte); R$ 911,11 (Nordeste); R$ 1.010,58 (Sudeste); R$ 1.011,28 (Sul) e R$ 986,11 (Centro-Oeste).

Em fevereiro, Pernambuco registra a maior alta no mês

Decorrente de pressão exercida pelo reajuste salarial do acordo coletivo, Pernambuco foi o estado que apresentou a maior variação mensal: 4,91%. Depois de Pernambuco, aparece o estado do Rio Grande do Sul, com variação mensal de 2,27%, devido à adiantamento salarial.

Relacionadas