segunda, 28 de setembro de 2020

Economia
Compartilhar:

Menos paraibanos moram em suas próprias residências

Érico Fabres / 03 de dezembro de 2016
Foto: Arquivo
A crise econômica mudou o cenário da habitação no Estado. Nem mesmo o programa Minha Casa Minha Vida, impediu a queda do número de paraibanos com imóvel particular, que atingiu o percentual mais baixo da série histórica registrada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado ontem através da Síntese de Indicadores Sociais (SIS 2016). Apenas 63,6% das casas eram consideradas próprias (quitadas) no ano passado. O menor índice anterior foi registrado em 2012, com 66%.

O programa Minha Casa Minha Vida, iniciado em 2009, não foi suficiente para alavancar o número de pessoas com casa própria. Em 2008, pela primeira vez, o percentual de imóveis com donos ultrapassou os 70% (71,4%). Sem dados dos dois anos seguintes, em 2011 a série foi reiniciada com queda de 2,6% e depois de mais 3%. Em 2013 o padrão ficou equilibrado, com aumento de apenas 0,5% e mais 0,5% em 2014, caindo no ano seguinte para os 63,6% (-3,4%)

A locação de imóveis, apesar da queda do número de pessoas com casa em seu nome, não aumentou, pelo contrário, diminuiu. Um novo modelo foi acrescentado no ano passado, a cessão da propriedade por parte de empregador ou de outra pessoa para quem não tem onde morar ou não tem condições de manter um bem.

A média do Estado é de três pessoas por residência. Já os sem teto, na Paraíba, por sua vez, diminuíram. No ano passado baixou para 24 mil o número de pessoas sem moradia, quando já foram 51 mil em 2014 e 80 mil em 2012.

Leia Mais

Relacionadas