segunda, 18 de janeiro de 2021

Economia
Compartilhar:

Mais de 41% fazem empréstimos para sair da inadimplência

Ellyka Akemy / 27 de maio de 2016
Foto: Arquivo
Três em cada dez brasileiros possuem empréstimos com bancos e financeiras. Desse grupo, 41,6% dos entrevistados afirmaram que utilizaram o dinheiro para o pagamento de dívidas. Os dados são do levantamento nacional feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). A pesquisa mostrou que o brasileiro vem mudando a finalidade do empréstimo pessoal.

Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, até então, as pessoas tomavam dinheiro emprestado como uma alternativa para a aquisição de bens de valores elevados. Agora parte dos consumidores já enxerga o empréstimo como um meio para resolver problemas financeiros. Kawauti afirmou que esse padrão é preocupante.

“Quando uma pessoa precisa de uma nova dívida para lidar com outra dívida mais antiga, algo está errado e mostra que suas finanças estão desequilibradas. Em situações de aperto orçamentário, o mais importante é rever hábitos e atitudes, e não fazer novas dívidas”, explicou a economista.

56,2% não analisam as taxas

Outro indicador que chamou atenção foi em relação ao percentual de pessoas que não observam as taxas de juros cobradas por bancos e financeiras.

Nesse caso, o estudo considerou três modalidades de empréstimo diferentes: pessoal em banco, consignado e em financeiras. As pessoas que tomam empréstimo nesse último formato se mostraram menos preocupadas em relação ao assunto – 56,2% afirmaram não analisar as tarifas e os juros.

Os percentuais de brasileiros que não observaram esses valores na contratação de empréstimo consignado e pessoal em banco foram de 38,2% e 36,2%, respectivamente. Para o educador financeiro do SPC Brasil e do Portal Meu Bolso Feliz, José Vignoli, é preciso ter muita atenção na contratação de empréstimo, principalmente no caso das financeiras. Para aqueles que utilizaram duas ou mais modalidades de crédito, a escolha do consumidor pelo melhor empréstimo dentro de sua realidade foi feita a partir da análise das menores taxas de juros cobradas (63,4%), mas também há aqueles que preferem a opção que tem os menores valores das parcelas (8,3%) e os que nem sempre podem escolher, adquirindo a modalidade para a qual conseguem aprovação, independente da taxa de juros (7,8%).

PróEndividados em Campina Grande

Na próxima semana o Tribunal de Justiça da Paraíba juntamente com a Energisa realiza, em Campina Grande, a 4ª edição do PróEndividados, programa de conciliação, solução e tratamento do superendividamento. As audiências acontecem entre os dias 30 de maio a 3 de junho, no Açude Novo, por trás do Terminal de Integração de Campina Grande, a partir das 8h às 16h.

Foram convidados cerca de 10 mil clientes que estão com duas ou mais faturas pendentes e têm os seus dados pessoais incluídos em serviços de proteção ao crédito. Os selecionados receberam uma correspondência/notificação.

Leia Mais

Relacionadas