quarta, 03 de março de 2021

Economia
Compartilhar:

Litro da gasolina vai ficar mais caro de acordo com a Petrobras

Redação / 01 de setembro de 2017
Foto: Reprodução
A Petrobras vai aumentar o preço da gasolina em 4,2% nas refinarias de todo o país a partir desta sexta-feira (1º), no maior reajuste desde a implantação da nova política de preços há dois meses. Na quarta-feira, ela já havia anunciado para ontem um aumento de 0,5%.

As informações constam da página da Petrobras na Internet, onde é anunciado, ainda, um do evento com o lançamento da sua marca SCK, na Melicidade, sede do Mercado Livre, em Osasco, com um desfile com peças para a geração millenial (jovens nascidos após os anos 90 e que gostam de comprar pela aumento de 0,8% para o óleo diesel também para o dia 1º. Na quarta, a empresa havia divulgado para diesel internet).

A coleção “Um novo romance” revisita o movimento new romantic (que é do início dos anos 80 na música e na moda) e traz para a passarela jeans com telas de renda e bordados artesanalmente com técnicas de haute couture que aparecem coordenados com camisas e camisetas e jaquetas , além de coturnos. A feminilidade está presente nos vestidos de amplas modelagens. Inspirada em um desejo de ancestralidade, a Coven apresentou sua coleção de verão 2018 baseada em elementos culturais da África. A grife trouxe vestidos, saias, calças , bermudas nas cores cáqui, vermelho, azul, branco e preto camisaria e roupas de linha. uma majoração de 2,5% a partir de ontem. As informações são da Agência Brasil. Embora a Petrobras não fale sobre o assunto, a alta está diretamente ligada aos aumentos da cotação da gasolina em decorrência da tempestade Harvey, que vem devastando os estados do Texas e de Louisiana, nos Estados Unidos.

Vale desde Junho

A nova política de pre- ços adotada pela Petrobras foi anunciada em 30 de junho. Naquela dia, a estatal informou que os reajustes teriam mais frequência e poderiam até ser diários, dependendo das oscilações do preço do produto no mercado externo. Aprovadas pela diretoria executiva, as alterações objetivam dar maior autonomia para a área técnica de marketing e comercialização da estatal visando realizar ajustes nos preços, que podem mudar a qualquer momento, desde que os reajustes acumulados por produto estejam, na média Brasil, dentro de uma faixa determinada (-7% a +7%), respeitando a margem estabelecida pelo Gemp (Grupo Executivo de Mercado e Preços). No entendimento da Petrobras, com a revisão anunciada, a nova política de preços permitiria maior aderência dos preços do mercado doméstico ao mercado internacional no curto prazo e possibilitaria competir de maneira mais ágil e eficiente, recuperando parte do mercado que a empresa vinha perdendo para os derivados importados.

Relacionadas