segunda, 24 de junho de 2019
Economia
Compartilhar:

João XXIII e Escola Viva Vida encerram atividades em meio à crise e falta de segurança

Érico Fabres / 26 de outubro de 2017
Foto: RAFAEL PASSOS
Depois da Escola Viva Vida, do Bairro dos Estados, fechar as portas, o tradicional João XXIII também divulgou comunicado, nesta quarta-feira (25), informando que encerrará as atividades no final do ano. A inadimplência, aliada com a situação econômica e falta de segurança são as principais causas da diminuição no número de estabelecimentos de ensino.

De acordo com o Sindicato dos Professores de Escolas Particulares, com o fechamento das escolas serão cerca de 60 professores ficarão sem emprego no próximo ano. Odésio Medeiros, presidente do Sindicato das Escolas Particulares da Paraíba, afirmou que o índice da inadimplência na rede particular de ensino na Paraíba gira em torno de 30% a 40%. Muitos pais de alunos pagam com atraso as mensalidades e outros, segundo a reportagem apurou, só pagam no final do ano, negociando descontos com os colégios, para poder matricular os filhos para o ano seguinte.

A Escola Viva Vida foi a primeira que avisou aos pais que não manteria s atividades para 2018 em função da falta de segurança, após a morte de um funcionário responsável justamente por cuidar da proteção dos alunos.

Já a João XXIII, segundo o sindicato, já havia ‘enxugado’ o quadro de funcionários no ano passado em função da crise. No comunicado aos pais, a escola informa que estão conseguindo manter os compromissos em dia, salários, fornecedores e tributos, mas, mesmo utilizando estratégias para atrair novos alunos, buscaram alternativas de redução de custos, sem prejudicar o andamento da escola. “Infelizmente, chegamos ao nosso limite operacional e tivemos que fazer as mais difíceis das escolhas”, encerrando as nossas atividades em 2018.

Relacionadas