sábado, 12 de junho de 2021

Greve
Compartilhar:

Bancários recorrem contra liminar do TRT13 e MPProcon convoca reunião para segunda

Cícero Araújo e Edson Verber / 16 de outubro de 2015
Foto: Arquivo
A Presidência do Sindicato dos Bancários da Paraíba informou que não foi citada sobre liminar do TRT13 que determina 30% de bancários trabalhando, mas garantiu que irá recorrer da decisão. E a entidade dos bancários confirma que participará de reunião do MPProcon-PB com os dirigentes dos bancos locais, convocada para segunda-feira, 15h00. Em Patos, ao contrário de João Pessoa, a greve – que chegou hoje ao 11º dia - tem provocado filas nas agências, com muitas pessoas querendo fazer depósitos e resolver problemas nos caixas executivos, que não funcionam.

Ao ser indagado sobre a liminar conseguida pela Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional da Paraíba, o presidente do Sindicato dos Empregados Estabelecimentos Bancários da Paraíba e membro do Comando Nacional de Greve, Marcos Henriques disse que “mesmo não tendo sido citado, oficialmente, até o momento, adiantamos que não temos como cumprir essa liminar porque não depende do sindicato. Mas mesmo assim reuniremos a diretoria para avaliá-la, junto com o nosso Departamento Jurídico, que já está trabalhando pra reverter essa situação, que teve origem numa ação oportunista da OAB, tendo em vista as eleições da entidade que estão em curso”.

O diretor geral do MP-Procon-PB (Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor), Glauberto Bezerra assegurou que “tanto os gerentes dos bancos locais, públicos e privados, como o Presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, receberam notificações e confirmaram presenças na segunda-feira, 15h00, na sede da Procuradoria Geral de Justiça, ao lado da Praça João Pessoa.

Em Patos 

Enquanto em João Pessoa, inexistem filas nas agências, em Patos, Município que polariza a economia regional, as reclamações e filas são constantes, como mostram os depoimentos a seguir: Elizio Otavio Neto, cliente – “Tô querendo dar baixas nos cheques pra poder tirar um novo talão, mas não consigo, pois só pode tirar dentro da agência, que está fechada. Quanto aos pagamentos minha sorte são as casas loterias”.

Carlos William Tenório, empresário comercial do ramo de produtos de limpeza: “aqui tem filas em todos – Bradesco, Itaú, Banco do Brasil, Santander, BNB, CEF e BB. Todos pararam e depois de uma semana só consegui fazer um depósitos nos Correio e passei 40 minutos na fila. Aqui vem gente de toda região resolver negócios. E se correr o bicho pega, se ficar o bicho come".

Tony Jeffe empresário e correntista. “Desde que se iniciou a grave vem causando transtornos, como tirar talão de cheques, depósitos que só são processados após dois dias e os contatos que não temos diário com o gerente para resolver assuntos pessoais e da empresa”.

Relacionadas