quarta, 02 de dezembro de 2020

Greve
Compartilhar:

Bancários decidem fazer greve a partir de terça-feira

Fábio Cardoso / 02 de setembro de 2016
Foto: Assuero Lima/Arquivo
Os bancários da Paraíba - cerca de 4 mil profissionais - decidiram, ontem à noite, entrar em greve por tempo indeterminado a partir da zero hora de terça-feira.

As assembleias dos sindicatos dos Bancários em João Pessoa e Campina Grande rejeitaram a proposta dos bancos, de reajuste de 6,5% no salário, na PLR e nos auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil. “Essa proposta é irrisória e não cobre se quer a inflação do período”, afirmou o presidente do sindicato Marcelo Alves.

As principais propostas da categoria são a reposição da inflação do período (estimada em 9,57%) mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial, no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (de R$ 3.940,24 em junho), combate às metas abusivas, ao assédio moral e sexual, fim da terceirização, mais segurança, melhores condições de trabalho.

Os bancários paraibanos seguem a recomendação do comando nacional, de parar as atividades até que haja uma negociação que contemplem a categoria.

Com a paralisação, todas as agências bancárias de Paraíba não funcionarão para atendimento presencial, mas a área onde estão instalados os caixas de autoatendimento, o serviço deve estar em funcionamento.

A superintendente do Procon da Paraíba Késsia Dantas, adverte aos Sindicatos dos Bancários da Paraíba que a greve é constitucional, mas se os direitos dos consumidores forem prejudicados entrará na Justiça, pois os depósitos e compensação de cheques têm de ser garantidos. Já os usuários dos bancos não demonstram mais a preocupação de antes, pois muitos usarão os aplicativos dos celulares e os correspondentes bancários.

Késsia orientou os consumidores a usar, para casos de pagamentos de faturas e saques, os correspondentes bancários que, inclusive, estão nos grandes supermercados. Os bancos oficiais, Caixa e do Brasil estão nas lotéricas.

Relacionadas