quinta, 27 de junho de 2019
Economia
Compartilhar:

Fecomércio 5 mil ofertas de emprego para o fim do ano

Ellyka Gomes / 28 de setembro de 2018
Foto: Assuero Lima
O comércio varejista paraibano deve contratar, em média, cinco mil trabalhadores temporários para atender ao aumento sazonal do Natal deste ano. A estimativa é da Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado da Paraíba (Fecomércio-PB). A entidade prevê que as vendas de fim de ano cresçam 4,5% em 2018, na comparação com o mesmo período de 2017, e movimentem R$ 1,7 bilhão na economia paraibana. O percentual está acima da média nacional, que é de 2,3%, de acordo com avaliação da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que prevê em todo o país a contratação de 72,7 mil trabalhadores temporários.

As contratações dos temporários, que em anos anteriores à recessão econômica se concentravam entre setembro e novembro, deverão ficar para o mês de dezembro. Antes da crise, 20% desses profissionais eram contratados até outubro. Nos três últimos anos, esse percentual não passou dos 15%. O economista da CNC, Fábio Bentes, apontou que as incertezas econômicas vão continuar levando os empresários a retardarem os contratos temporários em 2018.

A consultora de seleção Anna Carolina Nunes revelou que os candidatos paraibanos continuam entregando os currículos no mês de setembro de olho nas contratações de fim de ano, mesmo sabendo que muitas empresas ainda não estão admitindo. “Tudo o que eles têm é a esperança de conseguir uma vaga. Muitos candidatos ficam com medo de perde a oportunidade se não entregar o currículo o quanto antes”, comentou.

No entanto, algumas empresas paraibanas observaram que a Black Friday, que acontece na última sexta do mês de novembro, tem gerado um volume considerável de vendas e estão contratando temporários já com foco nessa data. “A gente começou as contratações este mês, para que os novos colaboradores passem por treinamento e estejam prontos para trabalharem na Black Friday, na maratona de vendas do Natal e na liquidação de janeiro”, revelou o gerente geral do Armazém Paraíba, David Oliveira.

O vendedor Luiz Emerson Franco, de 30 anos, trabalhou como temporário no Natal passado. Na época, ele estava à procura de um de emprego fazia cinco meses. “Eu já vinha distribuindo currículo desde que fiquei desempregado, mas em novembro foquei nas contratações temporárias. Deixei currículo em muitas lojas, nem sei ao certo em quantas”, contou. O bom desempenho do vendedor lhe rendeu uma efetivação.

Relacionadas