quarta, 25 de novembro de 2020

Economia
Compartilhar:

Empreendedorismo: João Pessoa se destaca no Nordeste, mas ainda tem seus gargalos

Celina Modesto / 13 de dezembro de 2015
Foto: Assuero Lima
A capital é singular. Quando se trata de ambiente regulatório, cultura empreendedora e capital humano, a cidade se destaca em meio a outras da região e do país por ser mais rápida para abrir uma empresa, cultivar boa imagem em relação ao empreendedorismo e ter mão de obra com bom custo X benefício. No entanto, há desafios a serem vencidos para tornar, de fato, uma cidade competitiva.

A Endeavor, organização global e sem fins lucrativos de fomento ao empreendedorismo, lançou o Índice de Cidades Empreendedoras - 2015. Foram analisadas 32 cidades por meio de 56 indicadores, distribuídos em sete pilares que mais impactam a vida do empreendedor: ambiente regulatório, infraestrutura, mercado, acesso a capital, inovação, capital humano e cultura empreendedora.

Empresas são de alto crescimento

A escolha das cidades analisadas foi feita com base na concentração de Scale-ups (empresas que apresentam alto crescimento em geração de emprego e renda). Juntos, os 32 municípios, de 22 estados, representam mais de 41% das Scale-ups do Brasil e aproximadamente 37% do PIB. Além de trazer o índice geral e os resultados por pilar, o relatório faz ainda um perfil das regiões, e aponta melhores práticas internacionais, que ajudam a compreender caminhos para as cidades brasileiras avançarem.

“O ICE é o principal instrumento de avaliação de ecossistemas empreendedores nos municípios brasileiros. Nosso objetivo é ajudar gestores públicos e a sociedade civil a construir melhores ações para o fomento da atividade empreendedora, além de contribuir para que mais empreendedores consigam crescer”, explicou Pablo Ribeiro, diretor de Pesquisa e Mobilização da Endeavor.

Regulatório. O pilar no qual a capital paraibana mais se sobressaiu, inclusive no ranking nacional, foi no ambiente regulatório. João Pessoa ficou em terceiro lugar no item, atingindo 7,23 pontos, e perdendo apenas para Goiânia (8,04) e Campo Grande (7,54). De acordo com Ricardo Rocha, gerente de Pesquisa e Mobilização da Endeavor, os indicadores que impulsionaram o bom resultado da cidade no item foram abertura e tempo de negócio.

Leia mais no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas