quarta, 20 de janeiro de 2021

Economia
Compartilhar:

Empasa isenta de taxas a entrada dos comerciantes e preço do milho deve cair

Edson Verber / 04 de junho de 2016
Foto: Rafael Passos/Arquivo
Até o final de junho os produtores de milho não pagarão taxas de entrada e de uso do solo nas sedes da Empasa de João Pessoa, Campina Grande e Patos. O objetivo da direção das centrais de abastecimento é minimizar os custos dos produtores, incentivar o uso dos espaços e levar ao aumento da oferta do produto e, desta forma, diminuir o preço da mão (52 espigas), que custa entre R$ 25 para R$ 20 e de R$ 35 para R$ 25, até o São João. No Mercado Central, ontem, chegou volume de milho maior do que na semana passada.

O milho consumido na Paraíba está vindo, em sua maioria - em face da estiagem que atinge o semi-árido paraibano -, das áreas irrigadas dos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará. Na Paraíba, a única fonte de fornecimento é o Litoral Sul e, principalmente, os municípios do Conde e Alhandra. A Empasa, entretanto, não soube informar a quantidade de milho que deverá entrar em suas sedes.

O presidente da Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas, José Tavares Sobrinho, disse que "até o momento, a demanda tá bem abaixo do esperado, mas é comum isso acontecer, pois o maior movimento nos três entrepostos da Empasa ocorre após a primeira quinzena de junho".

"Como proposta do Governo é a de baratear o milho para o consumidor, a expectativa é que o volume de comercialização supere o ano passado, incluindo o barateamento do produto onde a oferta supere a procura". José Tavares Sobrinho. Presidente da Empasa. 

Relacionadas