domingo, 24 de janeiro de 2021

Economia
Compartilhar:

Demanda forte impulsiona construção popular e supera crise econômica

Celina Modesto / 22 de abril de 2017
Foto: Arquivo
O mercado de construção popular tem uma alta demanda, não apenas nacionalmente, mas também na Paraíba. Em grande parte, a demanda tem um motivo bem evidente: o déficit habitacional. Dessa forma, embora a construção civil tenha sofrido no período de crise econômica, o segmento popular conseguiu se manter graças ao déficit habitacional e os preços acessíveis dos imóveis.

O gestor comercial da MRV Engenharia , Rafael Gomes, explicou que um dos grandes atrativos do mercado de construção popular é a produção de imóveis que podem ser adquiridos por um preço acessível. “Os imóveis são projetados para que o financiamento do cliente no banco fique próximo ao valor que ele pagaria de aluguel ou até menor. Então, o cliente faz uma substituição, ou seja, troca a despesa do aluguel pela despesa da parcela. Isso faz com que esse mercado não sinta muito a crise. Por isso, a MRV conseguiu manter o volume de vendas sem sofrer muito”, afirmou.

De acordo com Gomes, há motivos para confiar no cenário de vendas neste ano. “Estamos em expansão na Paraíba. Em 2017, devemos produzir em termos de valor geral de vendas o que não produzimos nos últimos quatro anos. Ou seja, o crescimento será grande”, avaliou. A estimativa do gestor comercial da MRV Engenharia é que haja uma demanda habitacional de pelo menos 300 unidades de imóveis por mês na Paraíba.

Qualidade não pode ser esquecida

Além de bons preços, o gestor comercial Rafael Gomes destacou a importância dada a qualidade do produto que será entregue ao cliente. “Consideramos ser uma empresa que faz o produto de melhor qualidade nessa faixa econômica.

Nossos imóveis são bem localizados e os clientes não encontram empreendimentos com nosso preço naquele bairro. Então, permitimos que o cliente more em bairros melhores”, afirmou.

Também frisou o aspecto da infraestrutura. “Oferecemos infraestrutura com portaria, área de lazer, piscina, salão de festas, ou seja, coisas que normalmente o cliente não teve acesso até então. Muitos passam a ter pela primeira vez na vida”, disse.

Neste sentido, o programa Minha Casa, Minha Vida é bastante importante. “O subsídio em João Pessoa vai até R$ 21 mil. Considerando que alguns dos nossos imóveis são vendidos a R$ 122 mil, com dois quartos e direito a prédio com piscina e portaria fechada, o cliente acaba pagando R$ 100 mil por ele. Isso facilita muito a vida dele e é um negócio que todos saem ganhando”, afirmou Gomes.

Relacionadas