domingo, 09 de dezembro de 2018
Economia
Compartilhar:

Delegada diz que não houve crime em relação à Rede Pag Fácil

Érico Fabres / 03 de fevereiro de 2018
Foto: NALVA FIGUEIREDO
A delegada adjunta da Delegacia de Defraudações, Vanderléia Gadi, informou nessa sexta-feira, em reunião com franqueados e advogados da Rede Pag Fácil, que não abrirá inquérito criminal contra a empresa, já que não há indícios de crime de fraude. “Se os advogados dos franqueados me convencerem que houve, nós voltaremos a analisar o caso”, afirmou.

A principal reclamação dos franqueados, além da quebra de contrato, foi o motivo para o fechamento das 24 unidades na Paraíba. “Pode ser um ato desumano, pois muitos funcionários dependem do trabalho, mas não é crime. O rompimento do contrato deve ser discutido na Justiça”, declarou ela.

Segundo um dos advogados, houve invasão dos auditores nos estabelecimentos, porém a rede afirma que todas as ações foram realizadas com procuração.

Decisção do Pag Fácil. O Banco do Brasil afirmou que a Pag Fácil possui autorização para credenciar estabelecimentos que tenham interesse em atuar como correspondentes, através do substabelecimento do contrato, em relação comercial firmada entre as partes. “Por questões negociais, diversos pontos de atendimento foram descredenciados em decisão tomada exclusivamente pela Pag Fácil”, diz a nota. Na Paraíba, a rede de Correspondentes do BB conta com mais de 200 unidades de atendimento.

Relacionadas