quarta, 20 de janeiro de 2021

Economia
Compartilhar:

Dados apontam que houve elevação generalizada de preços de produtos da Páscoa

Celina Modesto e Fábio Cardoso / 20 de março de 2018
Foto: Arquivo
A tradição tem sido um dos argumentos dos empresários do setor de supermercados para estarem otimistas quando ao aumento das vendas no período da Páscoa. Mas apenas 12% desses empresários afirmam que as vendas podem podem apresentar uma alta entre 3% e 5%.

No entanto, na ponta do lápis do consumidor, será preciso muito argumento para vender os produtos da época que, segundo a Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) registraram aumentos.

Na cesta de produtos da Páscoa não escapou praticamente nenhum produto sem sofrer reajuste, o que deixará o almoço da Páscoa ainda mais salgado.

De acordo com os dados da Associação dos Supermercadista, o maior índice de reajuste de preços ocorreu nas barras e tabletes de chocolate, coincidentemente uma das saídas baratas para os consumidores que buscam fugir dos preços elevados dos ovos de chocolate, que também sofreram reajuste.

Os preços elevados dividem os consumidores, entre a redução de produtos da época e a tradição.

Otimismo. Pelo menos 32,9% dos supermercadistas do país estão otimistas em relação às vendas de produtos no período da Páscoa. Embora o percentual pareça reduzido, trata-se de um aumento, já que no mesmo período do ano passado apenas 12,1% dos empresários do setor se mostraram otimistas com as vendas da data festiva. Os dados são de pesquisa realizada pela Associação.

Já no âmbito estadual, o presidente da Associação de Supermercados da Paraíba (ASPB), José Willame Cantalice, embora otimista, prefere ser mais realista em relação às vendas sazonais no setor: entre 3% e 5% de crescimento sobre o mesmo período do ano anterior.

Leia Mais

Relacionadas