terça, 22 de outubro de 2019
Economia
Compartilhar:

Crise encolhe o São João na Paraíba

Fábio Cardoso / 07 de maio de 2019
Foto: Divulgação
A mistura de queda de arrecadação e aumento de despesas; crise econômica e incertezas na economia está provocando a redução das tradicionais festas juninas na Paraíba. Ontem, no mesmo dia em que a Famup - Federação das Associações de Municípios da Paraíba fez um alerta aos prefeitos sobre as despesas na organização dos eventos juninos, devido ao momento de instabilidade e queda de repasses do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), o prefeito interino de Patos, Sales Junior, anunciou o cancelamento dos grandes shows realizados no Terreiro do Forró.

Também ontem, foi divulgada uma nota sobre a criação do Circuito Junino do Brejo, que reunirá seis prefeituras da região (Bananeiras, Borborema, Solânea, Serraria, Caiçara e Belém), inclusive, com a programação de shows já fechada, com os artistas e as datas de apresentação. “O evento é resultado da união das seis cidades, que congregam as tradições nordestinas com o autêntico forró nas suas mais variáveis versões”, afirma a nota.

O prefeito interino de Patos afirmou que a prefeitura não teve como manter a programação de grandes shows no Terreiro, o que transformou, segundo ele, o quarto maior evento junino do país, porque não teria como arcar com os custos. O evento, afirmou, teria um custo inicial de R$ 3,5 milhões. Após algumas adequações, esse valor caiu para R$ 2,9 milhões. Porém, com as seguidas quedas de arrecadação de repasses como o FPM, a prefeitura ficou impossibilitada de bancar o evento, optando por cancelar.

“Perdemos patrocínios e os que ainda poderíamos contar reduziram em quase 90% o valor em relação ao evento do ano passado”, apontou Sales Junior. Um desses patrocinadores, segundo ele, investiu R$ 500 mil no Terreiro no ano passado. Esse ano, com a crise e até Fake News sobre a festa, o valor baixou para apenas R$ 50 mil. “A prefeitura teria que investir R$ 1 milhão no evento e não seria irresponsável para realizar o evento e deixar de cumprir compromissos com áreas como a Saúde, Educação e Infraestrutura”, disse.

Sales Junior afirmou que haverá a festa junina em Patos, mas em um formato mais modesto, apostando nos artistas da terra e no potencial da tradição cultural da cidade. Os eventos começarão no dia 18 de maio, com o Arrastão de Drilha. No dia 1º de junho está prevista a realização do Festival de Quadrilhas. Na programação ainda constam Corrida da Fogueira, passeio de carroças, Shows culturais, casamento coletivo, Concursos de Cordel, musical e de pratos típicos, apresentação de quadrilhas e apresentação de quadrilhas juninas, entre outros.

"Haverá o nosso tradicional São João. Não no Terreiro do Forró, porque não poderíamos investir mais de R$ 1 milhão e sermos contraditórios com o discurso de que não temos recursos para aplicar na Saúde, na Educação, na Infraestrutura. Ouvimos os representantes da sociedade com um diálogo franco e todos entenderam esse momento de crise, inclusive, política-administrativa. Não iríamos promover algo que lá na frente iria prejudicar a nossa administração." - Sales Junior, prefeito interino de Patos

Relacionadas