segunda, 16 de setembro de 2019
Economia
Compartilhar:

Cresce o número de furtos em supermercados da Paraíba

Ellyka Gomes / 11 de setembro de 2018
Foto: Reprodução
O índice de perdas por furtos dentro dos supermercados brasileiros cresceu 12,51% em 2017, em comparação ao ano anterior. De acordo com os dados da 18ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro de Supermercados, em 2016, os furtos internos representaram R$ 568,8 mil do faturamento bruto do setor. No ano passado, o montante subiu para R$ 640 mil. O levantamento foi realizado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA/Provar).

O presidente da Associação de Supermercados da Paraíba (ASPB), José Willame de Araújo, informou que a entidade não dispõe de dados estaduais em relação ao assunto. Segundo ele, as perdas em decorrência aos furtos internos não são repassados para os consumidores, e sim absorvidas pela margem de lucro das empresas.

Bebidas alcoólicas, carnes, produtos de higiene e perfumaria estão entre os itens mais furtados das prateleiras dos supermercados paraibanos. A ASPB informou que todos os estabelecimentos filiados à entidade contam com circuito interno de câmeras de segurança. No entanto, segundo o empresário Anderson Melo, dono de uma rede de quatro supermercados em João Pessoa, ainda que as empresas invistam em prevenção, é impossível barrar 100% dos furtos.

“Se você encaminha para uma delegacia um cliente que foi pego furtando, seus funcionários passam mais tempo sendo interrogados do que o cliente propriamente. É uma situação que gera muita dor de cabeça para o empresário”, comentou Melo. Segundo ele, as perdas por furto interno representam 1,5% para seus estabelecimentos, somando R$ 72 mil por ano.

 Faturamento cai de R$ 6,4 bi

Além dos furtos internos, a quebra operacional (36%), o furto externo (15%) e o erro de inventário (15%) complementam a lista de perdas do varejo supermercadista brasileiro em 2017. Quando consideradas essas causas, a Abras apontou que o setor perdeu R$ 6,4 bilhões do faturamento bruto no ano passado, ante R$ 7,11 bilhões registrados na última edição da pesquisa.

O setor considera perda cada item que não cruzou o natural e esperado caminho do checkout. “Somente com a identificação do que está dando errado, é que podemos elaborar ações bem sucedidas para prevenir as perdas”, destacou o presidente da Abras, João Sanzovo Neto.

A 18ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro de Supermercados foi realizada com base nas informações de 218 redes participantes, que somam 2.335 lojas no País, sendo que 20% das empresas respondentes têm faturamento de R$ 101 a R$ 300 mi.

Relacionadas