terça, 24 de novembro de 2020

Economia
Compartilhar:

Contadores de plantão para contribuintes atrasados

Rammom Monte / 17 de abril de 2017
Foto: Divulgação
O prazo final para a entrega da Declaração do Imposto de Renda é no dia 28 de abril, mas ao que parece tem gente que ainda prefere fazer jus à fama do brasileiro e deixar para a última hora. O Correio Online conversou com alguns contadores que afirmaram que a prática é comum e que isto pode trazer prejuízos ao contribuinte.

De acordo com o contador Luís Bezerra, apesar de estarmos a 11 dias do fim do prazo, o horário do expediente ainda não foi alterado, mas que precisa prestar atenção detalhadamente aos documentos.

“O expediente ainda está normal, não alterou a jornada não. Mas como todo brasileiro, os clientes deixam para última hora, então tem muito documento faltando ainda. Às vezes, o pessoal manda só uma parte. A gente precisa fazer pente fino. Até o dia 28, o contribuinte está dentro do prazo, mas se faltar algum documento vai ficar pendente. O risco de deixar para a última hora é poder deixar de colocar algo dedutivo e acabar pagando mais do que devia”, disse.

O contador listou ainda os documentos necessários e alguns gastos que podem entrar na lista de deduções. “Comprovantes de rendimento, toda alteração patrimonial, informes de rendimentos anuais emitidos pelos bancos e os documentos de deduções são pagamentos efetuados a INSS, dependente, despesas médicas, advogados, hospital, plano de saúde, entre outros”, explicou.

A contadora Maria Alves falou que por conta da prática de deixar para a última hora, ela precisa ligar para os clientes para lembrá-los de realizar a declaração e também precisa estender o horário de expediente.

“O pessoal deixa para última hora, como é de praxe do brasileiro. Como eu tenho os clientes fieis, eu fico ligando, dizendo venha para cá. Quando chega o final a gente trabalha mais horas, a gente tem que acumular. Todo ano, no último dia, a gente vai ate às 22h”, finalizou.

O prazo de entrega começou em 2 de março e vai até as 23h59 do dia 28 deste mês. O programa gerador da declaração está disponível no site da Receita Federal. A declaração do Imposto de Renda é obrigatória para quem recebeu rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 no ano passado.

Também deve declarar o Imposto de Renda quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil; quem obteve, em qualquer mês de 2016, ganho de capital na alienação de bens ou direitos sujeitos à incidência do imposto ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias e de futuros.

Quando se trata de atividade rural, é obrigado a declarar o contribuinte com renda bruta superior a R$ 142.798,50; quem pretende compensar prejuízos do ano-calendário 2016 ou posteriores ou quem teve, em 31 de dezembro do ano passado, a posse ou propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, com valor total superior a R$ 300 mil.

Mudanças

Neste ano, a declaração do Imposto de Renda teve uma série de mudanças. As principais são a redução da idade mínima, de 14 para 12 anos, na apresentação do CPF de dependentes e a incorporação do Receitanet, programa usado para transmitir a declaração, ao programa gerador do documento.

Restituição

A Receita Federal pagará a restituição do IRPF em sete lotes, entre junho e dezembro deste ano. O primeiro lote será pago em 16 de junho, o segundo em 17 de julho e o terceiro em 15 de agosto. O quarto, quinto e sexto lotes serão pagos, respectivamente, em 15 de setembro, 16 de outubro e 16 de novembro. O sétimo e último lote está previsto para ser pago em dezembro.

Ao fazer a declaração, o contribuinte deve indicar a agência e a conta bancária na qual deseja receber a restituição, caso tenha direito. Idosos, pessoas com deficiência física, mental ou doença grave têm prioridade para receber a restituição.

Relacionadas