terça, 24 de novembro de 2020

Economia
Compartilhar:

Cautela na hora de gastar é o mais recomendado

Ellyka Akemy / 28 de setembro de 2016
Foto: Divulgação
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas subiu 1,3 ponto, entre agosto e setembro, e passou de 79,3 para 80,6 pontos - o maior desde janeiro de 2015, quando atingiu 81,2 pontos. Esta foi a quinta alta consecutiva do índice, que foi divulgado ontem.

Os economistas ouvidos pela reportagem recomendam que o consumidor continue gastando com cautela. Pois, embora o nível de confiança do consumidor em relação à economia esteja melhorando, ela por si só ainda não apresenta índices favoráveis à população. “Os preços das mercadorias estão muito altos”, frisou a economista Zélia Almeida. “A gente observa isso no supermercado e a tendência nos próximos meses, até o Natal, é de que suba ainda mais, já que a demanda nesse período aumenta”, acrescentou.

Para quem trabalha em empresa privada, a primeira parcela do 13º salário deverá ser paga até o dia 20 de novembro. “As pessoas estão se endividando porque o salário já não dá para pagar todas as contas, então não é prudente adquirir novas dívidas”, destacou Almeida. O economista Cláudio Rocha ressaltou que o consumidor deve dar um passo de cada vez, pois o Brasil ainda vive uma forte crise político-econômica.

“Gastos que comprometam a renda por muitos anos devem ser adiado até a situação econômica se estabilizar, pois a taxa do desemprego continua aumentando”, comentou. “Já pensou comprar um imóvel, por exemplo, e perder o emprego nos próximos meses”, acrescentou.

O que fazer?

Economistas alertam que o trabalhador deve usar o dinheiro para pagar dívidas e se preparar para pagar contas como IPTU, material escolar, etc.

Relacionadas