terça, 11 de maio de 2021

Economia
Compartilhar:

Black Friday será monitorada pelo Procon

Celina Modesto / 22 de novembro de 2017
Foto: Reprodução
Quase 70% dos consumidores brasileiros pretendem comprar algum produto durante a Black Friday deste ano, conforme uma pesquisa nacional da consultoria GFK, em parceria com a Vivo ADS. O gasto médio será de R$ 713.

Por outro lado, o site Reclame Aqui também apontou que 51% das empresas não fizeram pesquisa prévia com seus consumidores para a Black Friday. Para a pesquisa, foram ouvidos mais de oito mil consumidores e mais de 100 empresas. De olho nessa movimentação a Autarquia de Proteção e Defesa do Consumidor do Estado da Paraíba (Procon-PB) já vem monitorando os preços dos produtos que serão comercializados no estado, seja pelo site ou loja física, há algum tempo em preparação para a Black Friday. Haverá um plantão durante todo o dia da mega ofertas, na próxima sexta-feira (24).

De acordo com a superintendente Procon-PB, Késsia Liliana, a autarquia irá disponibilizar os levantamentos semanalmente ao consumidor por meio do Portal da Cidadania. “Faremos um grande plantão na nossa sede e os consumidores que quiserem denunciar também podem fazer no portal, que terá um espaço para isso”, afirmou. As lojas que forem flagradas cometendo propaganda enganosa terão o caso levado à Delegacia de Defraudações. “As lojas não são obrigadas a participarem da promoção, mas quem disser que está participando e fizer propaganda enganosa, terá a parte penal apurada. O próprio Código de Defesa do Consumidor considera isso como prática abusiva e é crime”, afirmou a superintendente do Procon-PB.

A pesquisa da Hugme/Reclame Aqui também apontou que 22% dos entrevistados disseram que pretendem gastar entre R$ 1 mil e R$ 2 mil durante a Black Friday. Além disso, 63% dos respondentes afirmaram que vão comprar para si mesmos e, outros 63%, disseram que acham os descontos dados durante o dia de ofertas atrativas. Na Black Friday todo cuidado é pouco. Embora os descontos possam ser atraentes, é preciso se certificar da procedência do produto, se a loja é confiável e se o desconto é real, por exemplo. O advogado especialista em Direito Eletrônico e Digital, Renato Falchet, salientou que não existe promoção milagrosa. “Aquela TV de R$ 3 mil dificilmente será encontrada pela bagatela de R$ 500. Desse modo, é importante verificar o site que está ofertando a promoção e tomar cuidado”, alertou.

Cuidados necessários

▶ Verifique se a loja que está vendendo é conhecida;

▶Observe se a ortografia está correta, dificilmente as lojas sérias erram nesse aspecto;

▶Não compartilhe links via whatsapp que prometam promoções milagrosas; na maioria das vezes é mensagem falsa com conteúdo malicioso que pode prejudicar seu sistema operacional;

▶Observe se o nome do site está digitado da forma correta antes de colocar os dados do seu cartão de crédito - muitas vezes uma letra pode fazer toda a diferença.

▶Por último, é importante também verificar o preço dos produtos que está comprando, afim de não ser enganado. Muitas lojas aumentam o valor base para simular uma promoção maior do que efetivamente acontece. Uma estratégia eficaz para evitar erros é fazer uso dos sites de comparação de preços dos produtos, na busca do melhor preço, verdadeiramente.

Relacionadas