quarta, 12 de maio de 2021

Economia
Compartilhar:

‘Bate-volta’ de São João deve aumentar em 70% movimento de receptivos

09 de junho de 2018
O tradicional bate-volta para as principais festas juninas na Paraíba deve aumentar o movimento das empresas de receptivo em cerca de 70% em junho em relação aos meses anteriores. Este período junino é considerado pelas cooperativas de transportes mais uma alta temporada, que se estende até o mês de julho com as férias escolares.

Apesar das dificuldades que o setor ainda enfrenta em decorrência dos aumentos dos preços de combustíveis e da greve dos caminhoneiros, a expectativa é otimista em relação ao número de passageiros que serão levados para as cidades do interior da Paraíba. “Esta semana mesmo, tínhamos várias viagens certas que foram canceladas. Mas acredito que do dia 15 em diante as coisas devem melhorar bastante. A nossa expectativa é a melhor possível”, afirma o presidente da Coopervans, Ivan Moisés da Silva.

Os cooperados contam que os fins de semana que antecedem o São João, especialmente os sábados 9 e 16, são os mais disputados por quem quer curtir a festa em Campina Grande.  Quem mais procura por essas datas é o turista local, segundo a presidente da cooperativa Extremo, Paola Vilar, que também representa o ramo de Transporte no conselho da OCB/PB.

“Temos 30 vans de 15 a 20 lugares e nos fins de semana no período junino todas são fretados para os passeios de bate e volta para Campina Grande, Galante e o Arraiá de Cumpade, em Galante. São ainda dois micro-ônibus fretados com grupos maiores. Durante a semana em média viajam cinco vans para o São João de Campina Grande”, disse Paola Vilar.

“O turista daqui prefere ir a Campina antes do São João. Nos dias 23 e 24, eles vão para suas cidades de origem. Para o dia 9, já está difícil de encontrar carros. No dia 16, ainda temos disponibilidade, mas a procura é alta”, destaca. Além de Campina Grande, o distrito de Galante e cidades como Bananeiras e Cabaceiras, que comemorou a Festa do Bode Rei no último fim de semana, estão entre os destinos mais procurados.

Os turistas de fora da Paraíba que não encontram hospedagem em Campina Grande e outros municípios com festas tradicionais, se hospedam em João Pessoa e optam pelo 'bate-volta'. “Já temos contratos de viagem com pessoas da Bahia, Brasília e São Paulo, que nos procuram com antecedência para garantir a diversão com o suporte de uma empresa responsável”, conta Paola Vilar.

O custo do transporte para fazer um bate-volta para uma cidade como Campina Grande, em uma van para 15 pessoas, fica entre R$ 600 e R$ 750. O preço de locação das vans maiores (para 20 pessoas) varia de R$ 850 a R$ 900, enquanto nos micro-ônibus, o valor médio é R$ 1.300.

Atualmente, existem oito cooperativas registradas na OCB/PB que atuam no ramo de Transporte e Turismo. São elas: Extremo Transporte e Turismo; Coopervans; Atualle; Coopermix; Transtáxi; Coopertáxi; Cooptas; CTC.

Relacionadas